Por que?

Caso eu dissesse que foi porque quis, eu estaria mentindo. Mas, o que posso dizer, é que: Eu comecei a me importar!

Eu estava ferido, e me tornei atento! Me recluí, me escondi. Fiquei solitário…

Fiz filosofia interna e externa de mim mesmo. E tudo ao redor. Eu absorvi, mas antes é preciso observar, ouvir…

Pensei.

Abri meus olhos e usei meus olhos. Usei também os meus ouvidos, e tapei a boca!

Eu não decidi. Mas, por estar sozinho descobri como decidir.

A razão? Você conquista.

Ouça o texto:

Papéis‬

Cumprimente todos no começo. É fácil de fazer, e é o fundamental para haver base na luta. Cumprimente.
 
A morte é um papel, cujo, nunca sairá do roteiro de nenhuma peça teatral. Escreva sua história, imaginando apenas estes dois pontos: o de início e fim. Entre estes, faça o que mais sentir desejo, peça vários abraços, pule na chuva. O simples é básico para ser feliz! Feliz no sentido de conseguir enfrentar os problemas sem deixá-los entrarem dentro de você… quando entra, é tarde. Faça exercícios, mente, braço, perna… Um bolo pro vizinho!!! A vida é boa sim… Fique em coma de amigos, faça sempre O NOVO. Não dói ser bom pra ninguém. Rasgue os papeis em cinza, ser ranzinza não cola. Super machista não lucra amor. A mulher não tem só a bunda para mostrar, tem seu ponto de vista também, e é muito interessante. Chega de aproveitar do outro, pra começamos a aproveitar nós mesmos. Rasgue papeis do mesmo tamanho, padrões! Patriarcalismo não deixa o colorir mais suave. E a gente precisa escrever novas histórias! E que sejam muito coloridas… cada cor representa o que a gente sente. Existem problemas enormes, sim, GIGANTESCOS! Mas, basta mudar de posição, para percebermos que era apenas uma pequena sombra, e você soube encarar esta felicidade. A liberdade muda qualquer ponto de vista. Mude o seu, quando achar que está tedioso. É semelhante isso, quando deitamos no sofá, e procuramos a melhor posição. O individuo tem que fazer, se mover… Mudar de opinião não é defeito! Será incluído no meio social, deixará de ficar no canto do quintal, será a arvore mais alta. Assuma o papel de querer viver, esqueça outros papeis, eles já foram rasgados, pois a chuva já os borrou e borrado, nada anda pra frente! Quando quiser confortar alguém, saiba primeiro, se não é você que precisa de conforto. Eu tenho inspiração a todo instante, por isso assumo o papel de querer chover neste rio, que cria correntes, e tudo por sua causa. Eu deságuo neste texto, sou chuva e ele o rio. Você foi a evaporação que fez a chuva querer viver e assumir seu papel, e tudo por causa de um trecho em especial. Espero que essa frase seja a vitamina principal desta leitura: A morte é um papel, cujo, nunca sairá do roteiro de nenhuma peça teatral. Reinicie quando der errado, a vida é boa, e necessita que você rasgue papeis, principalmente os papeis que não são seus, opine o que vier de você, de seu ser. Tenha personalidade, identidade! Seja diferente. – James

O dia em que o amor nasceu Part.1

A gente temia quando ele vinha. A capa preta fazia qualquer um perder o fôlego, a ponto de cair ao chão desacordado. Ele era tão seco por dentro, que ninguém poderia preencher aquela sequidão. Seus olhos fundos ao ver luz, e uma taça pendurada na cintura… tão unitário, que vida, nem fazia questão de ter ao redor. Nós que éramos fartos, não sabíamos como recebe-lo. As vezes aparecia do nada, e levava mais uma vida sem dar explicação. E há quem diz, que tudo foi por uma gota de água. Temos que saber viver, dar uma gota para toda a jarra receber. Ele quando moço, nem ligava com essa história, apenas andava sozinho, gritando para todos: “Dá minha AGUÁ ninguém bebe” … Até subia os fios de cabelo nas costas, me embruscava de medo quando dizia. A única coisa que a moça havia pedido, era uma gota de água. Ninguém sabe de onde vinha, mas todos davam com alegria. Exceto. Tão ruim que, sentiamos dor nas pernas ao correr dele. Aquela jarra santa, que nem se viesse algum ser de outro planeta, oferecendo algo em troca, ele negava. Filho de João Aparecido e Maria das Dores, João D’água rei daquele grande chão. Fazia até pena vendo os bois morrendo pedindo perdão. Mas tudo mudou, tudo havia de mudar. E foi quando João D’água havia visto a moça mais bela que existiu naquele pedaço de chão. Seus olhos que eram fundos e amargos, haviam acordado, pela primeira vez, vi o rosto do cabra. Tirou o chapéu e cumprimentou. Moça, vindo de longe, cansada, disse apenas uma frase “Poderia me oferecer um pouco de água moço”. -Eu já imaginei a cena. Mas não! Ele mudou de expressão, e encantado pegou sua taça da cintura e colocou um pouco de água para a moça. Eu nunca imaginaria ver aquela cena. Achei que iria ver João D’água morrer, sem oferecer uma gota de água que seja. A moça termina, e diz que tem de ir embora. João sem palavras, apenas queria saber mais sobre a moça, que por sinal parecia muito com João. O jeito de vestir, a expressão do rosto. E aqueles olhos, com as pálpebras cansadas. A água, era tão sagrada que para nos limparmos, usávamos a mesma água durante um mês, ou até mais. Quem tinha água limpa era rei. E o João e sua família, sempre dominaram aquelas terras. Todos com o coração de pedra. Trocar água era realmente algo que poderia acontecer apenas com familiares. Água limpa, mas de onde vinha que era suja. Aquela família miserável, todo o povo morria de sede, a família de João D’água nunca ajudou. E foi assim por vinte e sete anos. Nós que não tínhamos quase nada, andávamos 26 km para pegar 7 jarras de água. E ainda não era água limpa. João nunca olhou nos olhos de uma pessoa, porém quando ele olhou para Rita, – A moça mais linda que existiu naquele pedaço de chão. Sua vida mudou. O amor acendeu, e o sentimento pediu para entrar naquela casa vermelha que agora pulsa, e pede por paz. Quem sabe o amor é a verdadeira vela de um ser. O motor, o cabresto. Ou até mesmo a verdadeira consciência. Ele a encontrou e resolveu deixar tradições… – James Oliveira

Como simplificar

1

As pessoas dizem muito, ou melhor, falam demais. Elas votam muito, mas esquecem de saber votar. Dizem absurdos em relação a roubos, corrupção… Mas não deixam de furar uma fila, de perguntar de quem seria aquela nota ao chão. As pessoas de fato dizem muito. Desculpe-me, eu queria dizer que, elas tentam dizer. Dizer é cumprir, falar é brincar! Entende agora. Quando houver de fato sua palavra, você diz! Não preciso explicar o verso.

As pessoas julgam demais! Se ao menos estivessem na mesma situação iriam querer a compreensão até de outros planetas. Bando de macacos, epa, não me denuncie! É um elogio afinal. Os atos a tráfegos que fazem átomos dividirem a todo tempo, que faz a vergonha ter medo da coragem, do realismo, de saber encarar de verdade. As meninas Escândalo total, quando é famosa mais ainda, fora do normal!!! Onde está meu mundo, no bolso do escrúpulo? Tirar uma foto enviar sem receio, parece meio leiga a mentalidade no momento.

Na escola o ensino não avança, porque nós mesmos não criamos um fiapo de esperança. Na mesma linha, a realidade de hoje, pode-se perceber muito, as mãos tremendas, os olhos vermelhos, o desespero de quem ao menos sabe em quais mãos podem estar sua intima particularidade que, nem é mais, se perdeu, se fodeu! Vamos ajudar, vamos tentar simplificar o mundo de hoje! Tem gente que não entende, precisa de uma sincera ajuda. O amor de hoje, não é amado como o do passado.

O produto vale, se compra, é roubado. Sentimentalismo, amor! O impulso é o resultado de qualquer amor jovem… Elas só querem ser amadas e, é meio sem sentido começar com os roubos, a indisciplina do povo, e terminar na que está hoje, sem estrada. Mas, podemos comparar o fim com o início.

¹E se você soubesse votar! Escolhe um cara, um daqueles que com certeza serviria como um belo par. Que mudasse a forma de como usamos nossa comunicação, que fizesse que mais vezes déssemos as mãos. Nem se olha mais aos olhos, tudo artificial, mas, real. Tem vida que está sendo impressa, logo, facilmente manchada. A tecnologia querendo ser vida. ²E se você soubesse mudar! Começasse a pensar, planejasse um modo de votar. “Cê” que sabe, a escolha é sua, os filhos no futuro serão seus; a ignorância hoje será mais irrigada por você; a preguiça de fazer terá você como codinome principal… Carregar esse peso como apelido, que chato em!

É, eu sei que agora concorda que bando de macacos era um elogio.

Paro, e penso.

Agora vai, não para de pensar! O que você faz, mesmo se não vê, faz efeito quando de novo você tem que reeleger. (Eu tento, e você?) James Oliveira.

¹E se você soubesse votar!
²E se você soubesse mudar!
³ Aqui você coloca o que quiser… e continue!

 

 

Metade

16 maio, 2015

A igualdade da metade é dividida quando multiplicada pela sua gratidão. Fazer por querer, faz com que aumente o conjunto de nossa emoção. A metade do sentir é igualdade do viver. Se sinto por vontade, nexo por querer, por luz que chegou além da retina, por necessidade fome de empregar sentido… bater martelo lógica no prego de arquivar. Decisões me desafiam e minha ingratidão me estapeia quando coloco os olhos no canto, para vigiar o assunto; para saber qual é seu plano. A todo momento que minuto vira hora, a minha metade conta os segundos de suposta glória. A batalha da metade, é firme, por compreender outra metade, se é metade, são dois, se são dois é calor! A sinceridade da verdade, consiste na mentira. É como o frio, não existe… é ausência de. Formas estranhas podem ter meu desaparecimento e, o aquecimento da plateia, pode ser razão de meu sumiço, timidez que me oculta, faz de treino não ter valor. Se quero demonstrar, mas a imagem é um horror, como posso ser sucesso, como posso faturar. Na terra capitalista, onde pago para estar, sinto pena do advogado que trabalha para soltar, o que te rouba, não por maldade, mas, por falta de opção. No mundo verde e amarelo, o que vale é a nota para tragar a inocência. A metade da igualdade é sua divisão. Divida seus valores e seus sentimentos, dívida seus beijos, abraços, elogios e atrasos… Divida a ti mesmo, e seja carne e osso pra valer. Olhe no espelho e estapeei seu rosto… Toda vez que olhar para suas mãos, verá sua vergonha. É sangue babaca!

Fase

5 de junho de 2015

Eu costumava ser mais eu. Existia em mim, um tipo de ser que sentia a todo tempo. Me desculpe, eu disse que existia quando na verdade existe, e sinto a todo tempo. Eu estou preso em uma prisão feita de isopor, tão fácil de sair, mas a resposta das pessoas é que me obriga a voltar. Eu costumava ser mais alegre, ser palhaço, eu estava vivendo. Não pensava muito, a mente criança, uma semente…. Mas pelo menos eu me divertia, sorria. Quando a gente cresce e começa a sentir outros sentidos, nasce e cresce também outras dores. Viver a verdade do que é a vida, deveria ser mentira sempre…. Imaginar como se quer, é que deveria ser a realidade do que a gente poderia passar a ser. Apaixonar para de ser aquela brincadeira, e tudo como sempre que se torna realidade tem uma ou várias desvantagens. Para ser sincero, apenas conheci as desvantagens, e é tudo culpa minha. Eu queria encontrar toda noite quando esfriar, a sua mão para de alguma forma me conformar que logo estarei sentindo calor. Seria mais fácil se eu não fizesse mais difícil lá atrás.

– MERDA, MERDA, MERDA!!! Preciso urgentemente beber de mim, para sentir o gosto de ser eu…. Me tornei então hipócrita, me desculpe pessoal, eu sou do bem, e toda vez que sal queima meus olhos, é de saudade de ser eu… Aparência, aceitação, justiça, sociedade e claro, a culpa não é de vocês, eu que errei e não consegui seguir os padrões, padrões, padrões.

Eu odiava uma parte do que eu costumava ser. É claro que conheço e reconheço que todo feito tem bem e mal. E sim, existia em mim um sentimento legal, eu andava no caminho. Quase abracei os padrões. Cresci e vivo em interior, conheci dezenas de cidades, pisei por lá e tentei em todas me adaptar, mas por causa da droga do meu erro em andar lá atrás, não consigo terminar um suco em público. De novo quebrei aquela parede de isopor, eu não queria, eu encontrei a cabeça naquela parede, e tentei fazer que o vermelho brotasse em minha testa, mas continuava tudo branco, aquelas bolinhas infernais, eram isopor.

– Droga, Droga, droga! Eu comecei a mudar, e tenho razão para isso. Já fui humilhado o suficiente, mesmo sabendo ser capaz de fazer melhor e reverter o processo de humilhação. Se eu não usasse essa hipocrisia para me defender, eu me sairia muito bem, eu sei, mas depois, eu iria encontrar uma multidão, o colégio é forte em influência.

Eu estou me amando mais, eu juro. Conversei com quem me fez respirar, e ela soube me ouvir, obrigado. EU prometo para mim, que serei quem quero ser, porque tenho desejo, muito desejo de poder ficar frente a frente de quem gosto, e dizer muita, muitos, tudo, todo, vários, centenas… eu só quero sair dessa fase, e amar olhando nos olhos. Sempre existiu uma política para quem perde e ganha, está na hora de ganhar.

“But give me love over, love over, love over this, I… and give me love over, love over, love over this, I”

Natureza

Natureza
Na tua está
Natureza
Comigo Está
Natureza
É natural, acontece
Natureza
É normal
Natureza
Ature a dureza
Natureza
Dureza com a qual a gente pisa ‘nocê’
Natureza
Desculpe a moleza

A gente não sabe ser natural.
Não estamos na nossa; não estamos contigo, não fazemos o natural; é anormal… a forma com que a gente bebe água.

Perdi a vida…

Eu estou feliz! Converso com muita gente, geralmente tenho bastante amigos… dou muitas risadas. Vou a muitas festas!

Aparento ser muito feliz, te conto piadas; gosto de cerveja! Eu sou humano porra!

Mas, quando estou sozinho, e penso… ou Quando algo está dando errado, apenas sinto dentro de mim alguma coisa, é segredo… mas isso faz com que a ideia de partir não seja tão ruim.

Ainda falta alguma coisa. Algo que eu não posso dizer, é segredo.

Eu sou bom? Não gosto de dizer que estou mal, quero ver pessoas sorrindo.

Eu perdi a vida, não vivi muito… então resta o eu. Irei partir. Você não entende, mas… não é o momento pra discutir, apenas irei. Obrigado.

O tempo se corta, para que as cenas não se tornem um filme de terror. Desculpe.–

Todos os dias eu vejo noticias de pessoas se suicidando. Caso você, amigo da internet, pensa nisso. Lembre-se que você não está sozinho, converse mais SOBRE o segredo. Não poupe ninguém, apenas diga! Não se mate por alguém, não se mate por sí mesmo. Procure pessoas, e tente se livrar deste sentimento. Sua vida não é qualquer coisa.

Prevenção do #suicídio: 

0800 273 8255 

0800 290 0024

Centro de Valorização da vida disque: 

141  

Anelo

Eu tenho um anelo pela vida,
mas a vida nem se quer gosta de mim.
Esqueça tudo isso, e pode ir embora.
Desde menino, a gente se escondia…
Falar menos, parece preguiça, mas quem diria…
O menino suicidou. A vida não foi embora
mas sim, quem era, e não mostrava por fora

Esqueça tudo isso vai…
Quem sabe na próxima
Quem sabe serei melhor
A vida tem voltas
A vida tem cotas

Tenho anelo em viver
Mas a vida nem se quer torna assim
Esqueça tudo que sou, embora
No outro sentido, eu corria
Falar menos, é defesa de menino
E quem diria…
O menino se afagou
E não, não foi em água
Mas sim, em tudo que não dizia…
Que não botava pra fora

Mas quem diria
O menino sufocou
E tudo que tinha pra dizer
Morria no caminho do prazer
Ele foi embora, e nunca apareceu
Quem foi que disse?
Quem foi que disse que o menino escolheu?

Esqueça tudo isso vai…
Quem sabe na próxima
Quem sabe serei melhor
A vida tem cotas

– James de Oliveira /  MG

Escolha

Se temos uma vida tão legal, a ponto de não querer mudar nada, por qual motivos ainda pensar em problemas?! Talvez pensamos em “problemas” de uma maneira tão exagerada, que usamos este nome para nomear qualquer coisa que sai do nosso plano. E quando sai do nosso plano, estou dizendo que sua escolha não era um bom plano. Quando você deseja, você quer e se você quer, você se excita. Sendo assim, sua escolha vai depender do que sentir desejo. A escolha é uma base para se construir, e mostrar o quê, e quem você quer ser ou continuar sendo. O momento bonito, só é bonito, porque você o quer bonito. E sua vida só será boa se você planejar e fazer escolhas certas que podem fazer ela melhor. Tentando ser mais correto, já que não sei o que é correto para você: escolhas certas talvez não seria o caso para sua vida torna-se perfeita, não podemos esquecer do acaso. Para uma vida ser quase perfeita, necessita-se de: O planejamento!”. Planejamento de tudo mesmo! Casa, mente, família, sua mochila… Eu não acredito em destino, e caso você acredite, eu não me importo, afinal, não faz diferença. A verdade é apenas uma interpretação. Você vive e pisa no chão que foi baseado em suas interpretações. Então continue achando o que quer achar, viva esta sua verdade. A coincidência existe, e é apenas um ponto de vista individual, extremante meu! Pois tive a opção ao fazer escolhas. Quando estamos determinados a fazer algo, na maioria das vezes não sabemos o que nos motiva, apenas fazemos, mas no meio da ação, a gente espera resultados. Receber por alguma atividade que fazemos é uma forma muito explicita de motivo para fazer de novo. Comecei a chamar esses textos que aqui deixo de ” Masturbações mentais “, graças ao Gabriel, isso, O pensador… Pensa tanto em dor, que o Brasil agradece pelos curativos intelectuais. E eu tive a opção de escolher isso. Eu quero que seja assim, pronto. Nada é por acaso, tudo é por UM caso, e baseando-se em sua escolha que é chamada de caso, haverá sempre outros acasos. Devemos misturar frases, porque viver é uma conexão, é uma garrafa de escolhas que se torna o que somos. Sempre deve existir uma cautela em escolhas, pois elas dizem o que somos e pra quem vamos ser. Você pode ser invisível o quanto for, mas enquanto estiver sustentado em suas escolhas, desejos, sonhos, e claro planejamentos, mapas… Você será o mais forte da tribo, e olha, não conta pra ninguém suas ideias, a capacidade deve ser sempre invisível, digo: Imprevisível.

Jingle Bells

Jingle Bells
24/12/2014

Enxurrada de líquido cerebral, e os porcos ainda não sabem o verdadeiro significado do natal. As pessoas moram um mês no shopping, e torcem muito para um esportista que talvez vive usando dopping. Todos plantam árvore de natal o ano inteiro, deixam de baixo presente para os festeiros. Eu menti, o ano inteiro eles ficam a fingir, dizem ser amigos só pra tentar te fazer sorrir, quando você sorri, te passam a perna, e quando chega vinte e cinco pedem perdão pelo o que fizera. É muito legal o natal, pois se comemora o nascimento que não existiu, e o aniversário do Juca, e enfim… Todos terminam a ceia comendo jujuba. Pra os leigos: Meu amigo Jesus, que um dia fez jus não nasceu em vinte e cinco. Data que foi datada pra preencher o nada… Já que muitas religiões comemoram algo nesta data, por que não? Hoje, no mundo de atualmente, tornam-se insolentes, todos às ruas como Leões ferozes a procura de promoção, mas são espertos usam capa de ovelha, fica fácil confundir as olheiras.

 Passa-me a manteiga, mas cadê meu pão? … Esqueci tive de doar em época de São João. – Ora esta, por que doou? – O que queria que eu fizeste? – Agora como iremos fazer rabanada?! Estúpido! – Mas eu fiz o que era certo, todos estavam doando, eu quero ir pro céu caralha! – Ok, pergunte se lá tem pão, vai e volta… De outra maneira, o que quero dizer com o pão, é que a necessidade de fazer só porque alguém que tenhas lhe prometido o que quer que seja, não torna fato que irás ver a gloria, quando na verdade, ela está sobre seus pés, desde que, o que você constrói é o seu céu. Se faz algo bom, não irá haver recompensa, a recompensa já é fazer algo bom, pois, você se torna uma pessoa melhor, e assim sendo, o mundo fica cada vez melhor. Tudo que é prometido, as vezes, é apenas uma forma de fazer você deixar a preguiça de lado, ou até, uma forma de lucrar em cima de quem não pensa. É uma loucura ter que ser tão idêntico, tirando o fato que as pessoas se reúnem um pouco, claro, com um smartphone em cima da mesma, mas mesmo assim estão juntos, é a parte legal do natal. Em que algum grupo muito tempo atrás percebeu esta felicidade e atribui-a a deus, dizendo então que vinte e cinco é a data do nascimento do menino Jesus… Era só um pensamento pequeno sobre consumismo que me levou a este pequeno texto, mas, quando se é natal, não podemos deixar de exagerar.

Jingle Bells! Jingle Bells! Jingle Bells! Começar o ano com dívidas é incrível! E o Noel, sempre uma imagem né? Uma graça este Noel. O que seria de nós sem imagem, como por exemplo: Jesus com olhos azuis no oriente médio… que lindo. Mas pelo menos, de tudo o que disse não posso negar, o Noel faz de tudo para poder me ajudar. Me da presente, me da abraço, me da uma foto e um thauzaço! Ele sim é bom… Mas temos que conscientizar, quem é o Noel? Além da imagem, existe um conteúdo certo? Melhor você pesquisar, afinal, você está na web, e não na Hebe, aqui você pode quase tudo, pesquise. Continuando o que dizia: Quem é o Noel? E por que faz tão bem?! Respondo-lhes: O Noel, somos nós! E nós queremos o melhor pra gente, e quando estamos de Noel… (How How hOW) É SÓ ALEGRIA. O neopaganismo está dentro de nós e temos de usar, por que a sociedade, por que seu filho Pedro, não para de pedir presente, não quer parar de ganhar! Ah… Vamos parar com esta conversa, espero que tenha entendido minha testa, e Jingle Bells! Jingle Bells! Jingle Bells! Lembre-se: Noel e religião no final sempre é a mesma coisa, e PRESENTES, promessas, despesas…

De James, um feliz natal a você que leu este texto e poderia estar dizendo eu te amo para alguém, brincadeira… #JamesOliveira

Bipolar

Tô bem calmo, mas tem muita coisa me incomodando! Por mais que eu adore essa forma que você me olha, eu lhe pergunto se perdeu alguma coisa! E aí?! – Na verdade, eu estou bastante  animado, pois irei voltar com vídeos no meu canal, mais tarde, eu penso em desistir de tudo, e penso também, em como ta parada minha vida… eu me sinto um nada, é um saco! Eu começo os movimentos de ação, e paro no segundo passo… como se fosse um sorriso, em seguida, o sentir angustiante junto daquele arrepio, que com ele, as lágrimas.

Eu sou muita gente num corpo só, sou amor e raiva… Eu sou poesia complexa que ao final é animadora, pois quando se compreende, o seu gosto passa a valer a pena. Sou existência desses textos.

Em outro dia… continuo:

É delirante a maneira de ser em meio as pessoas. Delirante pelo fato de que a gente se passa ser o que não é… e tudo isso é estressante, desconfortável! Eu poderia passar para as pessoas um alguém muito mais legal. Essa bipolaridade, tem em mim duplo sentindo, por mais que seja estranho dizer isso, sou bipolar por não querer e, também como modo de defesa, uso a outra face. Geralmente me contento, não falo muito e tento resumir tudo que preciso dizer. Mesmo não entendendo o que acabou de explicar, não irei fazer alguma pergunta solicitando ajuda. Essa segunda vida, passa um ar de orgulho, mas… é de fato. Não posso negar. Ajuda existe pra quem quer! Você tem que levar algumas porradas para superar tudo que precisa superar. Mas… quem disse que me arrisco? Estou confortável, estou aparentemente feliz, e isso não atrai pessoas. Ninguém faz perguntas quando se está bem, e eu continuo escrevendo.

giphy-downsized-large

 

É fácil fingir; é fácil deixar pra próxima… mas tudo isso é fácil, porque do outro lado existe o difícil, que é justamente a estrada da superação… Ainda estou dormindo.

– James…

FAÇA!

Você já parou para pensar, a quantidade  de pessoas necessitam de ajuda, ou o quanto pode ser grandioso o momento em que você pode ajudar alguém, e não só “alguém”, mas animais, – lembrando que eu considero animais também alguém… eles são alguém! Já por algum momento se preocupou com que está acontecendo com o planeta inteiro?

Eu te pergunto, e o tempo? Tem alguma importância pra você? – Lembrando que eu estou me referindo ao tempo perdido! O que você vai fazer quando crescer? – Eis a questão!

E o amor, e o amor! E O AMOR! Você sabe o significado de amor? Eu não estou me referindo  ao amor que você diz sentir por alguém, que você só se relaciona a um mês! Eu estou dizendo sobre o amor que você tem sobre: o que você conquista; o que você é; sobre sua família; sobre suas ações e resultados. Mas porque dizer isso tudo? Bom, são coisas simples ao dizer, mas muitos complicadas na pratica. E este tipo de “coisa” as pessoas não gostam de comparar, ou seja, não é popular! Eu digo comparar é claro, no sentido de ser melhor do que o outro… e eu pergunto: você sabe porque elas não comparam? – Não existe vantagem no ego. Um exemplo: é muito melhor você dizer que seu celular é melhor do que o meu, do que dizer que doou sua mesada do mês! As pessoas se sentem melhor doando para elas mesmas; as pessoas tem vergonha de dizer eu te amo(inclusive eu)! Infelizmente hoje está cade vez mais real. Eu peço que você fuja disso, por-favor! Eu tenho uma dica: tente ser melhor todos os dias. Diga eu te amo!

A ajuda é uma necessidade de sentir-se bem e fazer o bem. O pensar é ignorado, porque agir sem pensar é muito mais gostoso! Mas, apenas por alguns estantes ele é gostoso. Depois frases do tipo: “eu não acredito que fiz isso,” – ” Eu não deveria ter falado aquilo;” – Ah, eu deveria ter feito isso, deveria ter feito aquilo.  Mas nunca fez! Acorde!.. e PERCEBA: que tentar ser solidário não muda o mundo! Você têm que fazer! E é exatamente isso que quero livrar de você: o tentar. Livre-se desse maldito ego quando estiver entre seus amigos; quanto estiver entre família! O ego só é importante quando sabemos aceitar o ego do outro. Pense e pergunte, para alguém pensar e responder. – Seria o mesmo de que: queira fazer e faça, para alguém querer e refazer.

Já sentiu aquele alivio quando fez algo de bom para alguém? Imagine você sentir isso todos os dias. E é uma tarefa fácil! Mas para você concluir essa tarefa diária, você tem que impor na sua mente uma lição: a compreensão! (não digo no vídeo)… Você deve aceitar as coisas como elas são, as escolhas como elas são escolhidas, o ser como ele quer ser… o gostar do que ele gosta! ACEITE!

E quando falo sobre tempo, é que estou querendo alertar que o seu está se esgotando, e quando passa… não se pode fazer nada mais nada menos do que se arrepender! Mas se arrepender com pouco tempo não é muito coisa não é verdade? Por isso: faça ações em busca de boas reações, ajude o próximo, aceite o próximo… ganhe ajuda e escolha o que quiser sem ninguém da pitaco! E não dê pitaco nas coisa dos outros!

Mas sempre lembrando, que isso deve começar por você, ninguém vai tomar as atitudes que você precisa; ninguém vai estudar por você! Comece dentro de casa, bem la no fundo de casa… da sua mente!

Pra quem quiser ver esse texto em vídeo: Clica AQUI.

Beleza

Todo mundo tem. A questão é de onde você olha e como você enxerga pra absorver! – Como? Ver e enxergar não são a mesma coisa. Coisas… humanos.
Os pontos que costuram a partida, dão inicio ao admirar. Tem muita beleza por ai afora, e existe muita, porque tem diversidade. E pelo motivo de ser diferente, que é beleza! O padrão divulga uma beleza, e desperdiça milhares delas. Mas sabemos que todo mundo tem, o que nos resta é tornar o que temos, algo mais forte. A diversidade mantém nossos dias mais felizes, o padrão cansa…
Não existe esta de bom e ruim, existe diferença! Existe cultura, multi-pluralidade. Multi que por sinal é singular, só existe ali. Estranho não? Pois é! Isso é beleza! A sua identidade, e sua identificação de postura no mundo, é beleza! A gente tem beleza, pois a gente vive nela. Aceitar a beleza do outro, é beleza… não faz mal! Pelo contrário, ajuda… Ajuda a sermos mais tolerantes, a entender do que o mundo se trata.
É necessário deletar frases feitas e construir novas de formas, onde poderíamos identificar beleza. É no cabelo; na voz, no tom de pele… no jeitinho de andar pelas calçadas. A beleza está nas ideias! Na inteligencia, e experiencia individual. Você é muito mais do que dizem, entenda sua identidade. Não deixe que eles venham, entrem na sua casa e lhe ensine o que para eles é beleza. Viva sua beleza! Não deixem que lhe digam o que se deve ser! Apenas seja.
Abraços, de James!

Sentença

Basicamente é o que sou. Tudo o que eu concluí até hoje, é isso!
Todas as minhas decisões são baseadas nisso. Até os momentos de felicidade são selecionados e direcionados de acordo com a minha capacidade, que infelizmente está limitada. O desejo é infinito, assim como, a imaginação é… e também, ambos idealizam dor quando se trata de sentença.
Por mais que pareça pouco, e acaba não sendo uma razão para muitas pessoas para concluir isso como uma sentença, é algo de muita importância para mim. Não se pode medir dor a partir do que fez aquela dor existir. Feridas são feridas, não é o tamanho que irá dizer se é uma prisão ou não. É claro que, com um simples ato de coragem, a situação poderia ser contrária. Mas, não se pode esquecer que a coragem tem vida, e a minha está bastante doente. Eu vivo uma sentença de fato, todos percebem, e eu mais que percebo, eu vejo. Eu sou o juiz, o réu… e a pobre vítima. Não se pode compreender, até que sim, tenha vivido uma prisão parecida. É sentença e mais alguma coisa, geralmente não é algo bom.
 
Todos os dias é dia de ver; é dia de sentir sentença.

Noturno

Meus olhos se ofuscam e a paz parece sumir em um piscar.
Toda vez que se percebe a verdade, você se sente tolo, pois,
o orgulho sempre está a nos permear. A gente sente falta do que era pra sermos, e sempre quando chega a noite, a sensibilidade torna-se maior. Todo mundo sente, e todo mundo mente em seguida. De fato necessito de ajuda, mas ainda está a permear entre o que sou, e claro!!! O orgulho não pode dizer que errou.
O som que sentimentalmente a música cria, é de forma incontestável, libertador. Porém, além de libertar a dor, no sentido de fazer a gente pensar na atual situação, se gera outras pendencias. E quando a noite vem, vem também uma certa angustia. Vem muita carga do que se passou na semana. Estes sábados são sempre a hora de sair, pra tentar esquecer, pra tentar filtrar de maneira descontraída. A gente foge todo dia, somos noturnos. Quando se usa palavras escritas, o falar de mais passa a ser regra, perdão. Contexto de James é isso. Uma empresa de tentativas, no entanto até agora falhas, de reciclar. Eu não uso o sábado como refúgio, eu escrevo. Não costumo sair, embora concluo ser errado de minha parte.
A noite acorda, a gente sopra as velhinhas da lembrança, e todas as festas são lembradas. Noturno é forma oculta de ativar toda a minha preocupação. E eu finjo dizer: a noite cura as feridas da manhã…

Decência

.
No mundo estamos ativos, no mundo estamos.
A gente trabalha, melhor dizendo, pouca gente trabalha.
A gente se sente livre, porém, quem é livre afinal?
Existe o desejo, mas poucos se concretizam.
Existe o medo, e ele assassina desejo.
A gente sonha também, e chora as vezes.
A gente é decente, mas nem todo mundo usa decência.
É estranho dizer… Mas sempre existirá PORÉM!
A gente é pleonasmo, a gente vive nele.
A gente precisa explicar, que ser bom para outra pessoa é o mesmo que ser bom consigo.
É triste pensar, que é preciso ensinar que amor é reciproco.
A gente pensa demais, aí o tempo acaba, e nem um abraço se recebe.
A gente ama, mas fala de mais.
A gente erra, e errar é natureza.
Existe tudo o que é bom, entretendo, se esquece que existir é ação.
A gente é porcelana, e a raiva nos racha!
Eu, James, falo de mais, sou gente.
Mas na cabeça, existe interrogações:
O que é preciso fazer para ser bom?
O que é preciso fazer para ser útil?
O que é preciso fazer para ser único?
O que é preciso fazer para mudar o jeito de ser?

Desespero

Contexto de James é desespero.

O medo da verdade publicada nos faz mentir!
Sempre quando houver a pergunta: está tudo bem? Existirá aquela mentira: – Sim, está tudo bem. Quando na verdade, sabemos o que se passa em nossa mente… Todos os problemas; todas as pendências, seja consigo mesmo ou com alguém que goste.

A insatisfação de não completar de forma justa as fases da vida, lhe obriga a rejeitar a próxima. O desespero é constatante, assim como o medo da verdade, pois nem sempre são bem vindos todos os argumentos, as pessoas escolhem no que querem acreditar. A dificuldade existe a partir daí, e a complexidade do contexto de quem se é, é criado.

Naturalmente o entrosamento social é deletado, e é visto como um problema psicológico na maioria das vezes, e nem sempre é desta forma…  talvez seja apenas o que aquela pessoa é. A identidade de muitos são diariamente assassinadas, e ninguém denuncia esses homicídios.

Estou desesperado… não é tão simples dizer que serei rico agora. – Eu costumava dizer isso quando mais jovem. No momento, acabei de chegar na ponta da vida, e já sinto frio. Irei enfrentar a sobrevivência. Ser jovem é arriscado… Qualquer escolha que fizermos poderá ter um peso enorme no resto da vida. Eu espero continuar; espero não desistir.

É difícil engolir mais uma colher de realidade.

Fragmento:

Em meios aos acontecimentos, eu escrevo. E o que posso dizer é que estou perdido. E agora? O que faço da minha vida? Estudei… e agora?
To louco. Estou louco!
E agora eu digo
Que tempo que fora que dentro
Nem mesmo fofoca, nem mesmo relento
Vontade inova…
Eu saio eu entro
Eu ganho, eu tenho
Vivo imenso. Levo o tempo
Pra tudo na vida
O tempo na vida
O mundo vêm se tornando um espaço incomum . E fica cada vez mais difícil resolver planilhas de prazeres. O simples se torna dor ao esticar os braços. Não consigo alcançar. É necessário fragmentar, – Disse bem baixinho.
Pra tudo entrego
Eu me rendo.
Ta difícil saber.
Agora a vida me pega,
Qual trabalho vou fazer
O que irei ser.
A pegunta que fazem quando criança parece ter sentido agora.
Tá frio. Está frio!
Eu preciso picotar o que fiz na história, que história? Queria dizer: até agora.
Montar um quebra-cabeça pra se organizar.
Eu preciso, e você precisa: Fragmentar.

A negação me consome

Eu sou a vela assoprada.

Nos dias normais eu tento buscar sossego, pois, a tristeza do não alcançar o desejado, me faz sentir perdedor. Eu não poderia estar de outra forma, se não esta, esta… de negação. O aceitar torna-se impossível, e este foda-se que as pessoas conseguem acionar, não funciona comigo. Eu me preocupo, e ao mesmo tempo me escondo da verdade do que sou. Por mais que possa parecer uma escolha que fiz, não é. Eu não tive a oportunidade de cuidar melhor, pois não conseguia ter a noção do que poderia acontecer. Foi assim na escola também, eu não tive a noção da falta que me faria, ter os olhos mais fixados no quadro e professor. Me fodi. Perdi dois anos.

Estou sendo consumido. O alimento para urubus está à mesa. Loucura total, dizer estas palavras. Mas, não se conhece nem um pouco do que é ser louco, quando se têm o conhecimento de minha realidade, talvez… talvez, possa entender um bocado. O complexo que existe em todos esses anos, por motivo dessa falha, está anexada em todos os textos que fiz. Nessa década, eu me li sofrendo. O que eu escrevia, automaticamente era sobre a falha, sobre o que eu não faço para mudar. E por algum motivo eu tenho a certeza de que seria visível de alguma forma, caso eu resolva essa falha, pois dentro de James, existe muito mais do que o especial. Eu sou a vela assoprada e quando apagada a luz, a energia não vem, desta forma a coragem é muda, e eu… eu fico na inércia, chorando. Provavelmente isso já foi dito, porém não seria exagero repetir… Por muito tempo se espera um milagre, até se perceber que o milagre só existe quando você o faz.

Quem é James? Qual o seu valor?

Sinceramente eu me pergunto se irei ter este valor um dia, tendo em vista claro, o mundo em que vivemos, pois, não há como sair. Eu quero vida, eu quero esperança, e espero que as pessoas se orgulhem de mim. Mas, enquanto eu negar; enquanto eu bloquear esta saída, eu não irei mudar. Escrevo devido a esta falha, ela foi o meu quarto escuro de criatividade, onde eu, sozinho, percebi as pessoas e suas atitudes. Consegui olhar para as pessoas de uma forma diferente, tendo como objetivo a busca. Do que é aquela pessoa, o que ela vale…

Eu me perguntei, e me pergunto muito. Deveria também perguntar as pessoas, porém como citado, eu fui assoprado. Destino? Não! Não existe no meu mundo. Todas essas teorias do mundo de cima, não cabem no meu mundo; em minha identidade pessoa.

– De novo… a música.

Radiohead – Let Down.

Essa banda tem o costume de fazer isso, ela me acolhe, e me “criativisa”.

Quando espanto. Estou escrevendo de novo. A memória pesa, pois, lembrar do que está em mim é desmotivador. Eu preciso de uma saída de urgência. A válvula de escape, ESCREVER, não está sendo suficiente, ler tristeza é apagar futuro.

Vocês não imaginam do quão é ruim quando encontro algo ou alguém que se encaixaria perfeitamente no que sou, mas, lembrar do que sou em parte, não deixa a esperança de estar feliz, viver… e nem por um minuto. E novamente me pergunto: irei viver assim até quando?

ATÉ QUANDO VOU OUVIR E NEM SE QUER IREI dar MEU PALPITE.

Que modestamente, seria melhor em alguns casos.

Agora outra música.

Forget it – Breaking Benjamin.

Outra banda que adora me oferecer uns socos. A música é reveladora. Os sentimentos que você pensa, ou imagina não ter, são revelados na primeira frase. Os Riffs marcantes lhe oferece um selinho na consciência. Eu não sou uma pessoa perfeita, e pra ser sincero, ninguém é. Porém, sabemos que da pra ser melhor a cada dia. A perfeição é um conto meu amigo, não tente chegar lá. O que pode parecer perfeito, é personalidade, identidade… assuma sua! Estar melhor seria como gostaria de estar. Mas esquecer é algo difícil para mim. A única coisa que não esqueço é o PORÉM, ou seja, a desculpa. Perceba ao longo do texto varias.

Mais uma música… Creep – Radiohead, realmente eu sou o suco dentro desse copo. Foi feita designada para as pessoas do quarto escuro de criatividade; foi feita para quem tem vontade de correr, correr e correr. Foi direcionada, para os que complicam. E é dito: Eu não pertenço a este lugar.

Eu tenho o sonho de ser mais, e poder oferecer a todas as pessoas ao meu redor, um carinho que nunca dei, por motivo de não conseguir lidar com estes problemas. As vezes eu exagero com minha família, e grito de um hora pra outra. É algo que me frusta minutos depois, e eu me sinto muito mal com isso. Estou cansado de maquiagem. Essa coisa não funciona para todas as pessoas.

É isso que acontece quando não se tem mais para onde ir… o balão estoura. Sempre deve existir este fim, este limite. Estou perto do meu, é o que espero. O fim das lástimas e o nascimento do que é viver.

– Tenho dezenove anos de idade, e ainda não vivi.

Simetria

O perigo da minha indisciplina, é hoje, de forma totalmente infeliz resultante em dor. James obtivera com todo esse tempo uma dificuldade de se desenvolver em todos os lados, as setas, as cordas, tudo o que lhe mostrava o caminho era cheio de espinhos, desculpe, dizendo isso no passado. Era… e é! O sofrimento foi acarretado devido a esta corrupção indisciplinar. As amarras desmontam-no a cada tentativa de se tornar, e livre gritar, cantar e fazer o que gosta. Não oferece seu rosto a bater, não impõe sua personalidade; sua identidade… e ele possui tudo isso, ele é incrivelmente o cara. Os olhos olham completamente confusos, pois enxergam o melhor que realmente ele pode ofertar, mas ele não funciona. Qual será o problema? Vejamos: é realmente isso que se deve perguntar? Qual será a solução. A mutação foi constante, viveu em várias cidades, viu vários rostos e sentiu muitas vezes. James bebia da água magoada das pessoas que conhecia, o olhar pra si mesmo inexistente, e a assistência de pessoas dezoito ainda menor do que se espera. Os detalhes do molde ficaram grudados nos dedos, e James partiu, ele se quebrou. A saudade que poderia; a experiência que poderia; o trabalho que poderia; o reconhecimento que poderia existir morreu prematuro. James é semelhante a uma esponja, absorve tudo, e compara com sua condição, e sempre isso lhe deixa mal, o otimismo passa a ser pessimismo, e ele se culpa com o desejo de voltar ao tempo, mas sabemos que não se pode voltar ao tempo. Mais um prego em minha cruz. Enquanto não existir coragem para querer ir para o futuro, não haverá mudança. A simetria requisitada para o equilíbrio de suas emoções é uma parte física de James, será um efeito dominó, assim que mudar UM, haverá o contínuo progresso. E James será reconhecido.

(usei meu nome, mas é um alter ego – O Monstro.)

Vermelho

A conexão é inevitável quando se usa os olhos, desta forma, caso realmente exista uma verdadeira troca de olhares, no sentido de: eu quero enxergar; quero poder lhe conhecer… O ponto de partida será necessário, pois não se protege da chuva sem antes pegar o guarda-chuvas. Tendo isso como referência, digo com a certeza de que estou certo que houve aquela esperada troca de olhares, e não só troca de olhares, existiu uma profunda observação e ao mesmo tempo apreciação em relação a ambos seres humanos.

Vermelho… vermelho é o que se via… os instintos se ativam e os pelos imediatamente se arrepiam, trazendo a mim uma certa energia, cujo acumulada, me leva até o conhecido frio. É verdade que isso não se passa de um desespero, eu não sou o melhor para lidar com esses tipos de situação, mas garanto, que posso ser o melhor se existir uma permissão, pois não consigo agir sem antes saber se posso entrar. A timidez é um pequeno problema, pequeno pelo motivo de que ela lhe controla e não lhe permite exageros. O Processo é lento, mas quando finalizado, não exista quem o reverta, essa pode ser uma afirmação equivocada relativo ao ponto de vista, mas se eu não procurar ter a minha identidade, ou melhor, encontrar minha identidade e usa-la, como poderei ser útil para as pessoas que amo, e claro, para o vermelho que pretendo amar. As soluções parecem obvias, mas não são, aparenta ser porque a vida é uma armadilha, ela lhe oferece abrigo, comida, e quando você mesmo espera… fim. Seus planos foram por água à baixo, e o que vem agora¿ A vida novamente irá lhe oferecer uma oportunidade, porém neste momento, você começa a entender, claro, este campo minado. Também existe uma compressão de que, as oportunidades são visíveis de acordo com o caminho que você procura seguir! Desta forma você percebe que a vida não foi uma armadilha e sim, o que caminho que você seguiu. Sabe o processo lento¿ É devidamente para evitar essas armadilhas, porque se algo começar a dar errado; se o estopim começar a acender, o tempo que você deu ao tempo, será retribuído, e terá chance de lamber os dedos, e apagar o que seria seu fim, pelo menos nesta parte de sua vida. Vermelho eram seus cabelos, e eu estava apaixonado. O labirinto começava a se construir em minha cabeça, eu enxergava os muros se levantando… de novo não! O amor platônico, ao mesmo tempo que presenteia com a criatividade, retira de mim o que necessita estar inteiro.

Transtorno/déficit/atenção/hiperatividade TDAH

A porra do mundo me bate toda hora na cara… E eu fico parado, impossibilitado de fazer algo que possa me ajudar. Todos dizem que tenho uma capacidade fora do comum, mas não consigo ver nada que possa ser diagnosticado como fora do comum, ou melhor, penso: … toda essa farsa que sou é fora do comum, tenho uma capacidade na teoria posso dizer, mas nunca de fato nunca vi acontecer, por que sempre que eu acendia o estopim para meu sucesso, eu mesmo lambia os dedos. Não consigo me decidir em nada, todos os dias sou sugado, só saem palavras como estas, mas na maioria das vezes não consigo ler as suas. Posso gostar de um livro o quanto for, mas se começo a ler o segundo parágrafo, qual era o primeiro mesmo?! E lembro também que não sai poesia à lápis, eu preciso que as pessoas entendam depois para me explicar… E é por isso que não faço à lápis, a letra precisa de beleza para ser entendida. Sem minha mãe eu chegaria a qualquer lugar muito atrasado (e ainda chego), todo desleixado, sem banho tomado, é meio complicado. Complicado também é fazer as pessoas entenderem, não é preguiça é um pequeno defeito que por um acaso chama-se preguiça. Defeito também é esquecer seu nome, tem algum codinome? … E se não posto muitos textos lhe deixo a resposta: tento fazer torta e jogar bola ao mesmo tempo em que como farofa… enfim, não consigo terminar nada. Sou desorganizado sim, mas quando me dá vontade (Uma vez no mês) arrumo metade do meu quarto, fica uma beldade! O pior é quanto invento beber, aí sim logo estarei no chão feito um bebê. Já fui demitido e já pedi demissão, nunca fico de barriga cheia, nada me satisfaz então. Se não fossem talvez os textos, estaria em depressão, com enormes lacunas por fora, e lotado por dentro feito um chorão, cheio de palavras não ditas. Pelo menos disso eu não me arrependo, tenho força para escrever, mas quando lembro. Me dá uma preguiça de fazer, é estranho. Onde já se viu uma preguiça com vontade de fazer. Tenho ideias brilhantes talvez, mas sempre erro outra vez; tenho uma autoestima baixa e ao mesmo tempo sou otimista, não sei me diagnosticar neste ponto, mas as vezes queria ser ativista, mas saiba que é só vontade. Se não sabe, eu toco violão, ou melhor, tento fazer igual meu irmão. Mas na verdade sei só algumas acordes… Música é algo complicado, ela prefere a concentração e sempre mãos à obra irmão! Quando é para ler escalas, começo bem bonitinho, mas paro no meio, e nunca aprendo a fazer como pedem: bem direitinho. Não consigo ficar parado… o desafio mesmo é dormir sem ficar acordado, pode ser estranho isso, mas é de verdade. A música baixa e o telefone já descarregado são os únicos que me fazem dormir de fato. Não tenho nenhuma iniciativa, mas nunca perco a forma de otimista, não ligo com o tempo para fazer. Digo isso tudo, mas na verdade ligo sim, o problema é conseguir pelo menos o início por fim. E também, eu gosto de me precipitar: responder você mesmo se não terminar de perguntar, às vezes acerto por que penso rápido demais, outra hora eu erro, e fico bolado pra carai, mas o importante é saber que me compreende, e se me compreende mudo de assunto, ou melhor, passo para outro ponto, descobri que sou humorista, e é automático…tenho problemas na dicção e meus amigos riem como se não houvesse um não! “Não falei brincando. ”… E como rir é bom, eles pedem de novo… – Vai, pronuncia a palavra novamente. Confesso que sim, eu me divirto com estes tolos, (ha-ha, é uma risada), vou esquecer tudo mesmo. E pensando em esquecer… Esqueci de dormir, vou então… daqui irei me despedir, até logo.

30

Existe uma dívida do homens com as mulheres. Todos sabem, e os que dizem que não sabem, não conseguem assumir a responsabilidade que é reconhecer o papel fundamental que tem uma mulher no mundo. Dívida a qual acho quase que impossível paga-la, afinal é também impossível voltar no passado e corrigir os erros que fizemos. E relativo como seja esse erro, ele se tatua na vida, fazendo assim vidas serem atrasadas ou até mesmo levadas ao fim. Me perdoe por diminuir esses fatos em uma palavra: dívida. Sei que se trata de algo maior, mas no momento esta é uma das maneiras que eu James, posso me posicionar. Em meio aos fatos… 30 são os homens que sujam quem eu sou. Sou homem que muita das vezes é confundido como porco, estúpido; tarado; arrogante… Me envergonho, pois devido a estes acontecimentos é explicita a generalização. Em alguns dias quando estou voltando para casa já de noite, percebo uma mulher na calçada, muitas das vezes ela passa para o outro lado, evitando assim o meu “contato”, pois a forma como os homens se comportam quando estão em frente de uma mulher é vergonhoso e gera um certa imagem do que o homem é. Se bem que é mesmo, entretanto existem os que sabem o significado de tempo e claro colocam na frente o respeito, e não só respeito ao outro, mas consigo mesmo. Devido aos casos não resolvidos, chegamos a este, que foi algo incompreensível, e também para entendermos que o limite do homem não existe, pois sempre existirá a vontade de ser mais e ser mais muitas das vezes significa diminuir outros milhares. Divulgar imagem de uma pessoa não é de maneira algum algo para se apreciar, esqueça o ego; esqueça a imagem do homem machão, pois isso não existe. Agora temos mais uma vida infelizmente destruída, e que com certeza não servirá de exemplo para quem faz o mal, só será mais um caso que causará dor nas pessoas de bem. Devemos entender que o papel é nosso, e se queremos um Brasil (mundo) melhor não é preciso trocar governo, é preciso trocar a maneira como nos comportamos, seja em qualquer lugar que estejamos. Não posso dizer nada que seja crucial e resolva esses problemas, mas gostaria de pedir desculpas…. desculpas para minha mãe; minha madrinha; minhas irmãs e todas as mulheres do mundo. E para a moça não tenho nada a dizer, pois é impossível resumir o que ela está passando em palavras. Isso não é um texto que se aproveita da situação, é um texto que coloca em campo meu rosto, que significa minha dignidade, e também o reconhecimento da gravidade dessas situações. Peço desculpas e desejo paz… Espero ainda, dias melhores.

Ponto

Tudo tem um ponto.
Seja para fim ou apenas uma meta.

Se entendes bem, por qual motivo ultrapassa a linha?
Ponto.
Tudo tem um ponto, exceto e corrigindo:
A ignorância não tem ponto, nem pontos…
Exacerbadamente engole todos.
O não saber lhe oferece autoridade.
Tolos.

Ponto, por dúvida ou por certeza.
Certeza cuja não temos.
Você pisa em qual chão?
Vida.
Todo vida merece ponto, para viver e claro conviver.

Ponha, coloque, insira pontos.

Somos nossos próprios conflitos.
Pisamos onde nossos pés estão.
Lembra do chão?
Use pontos, não ultrapasse.
Se somos nossos próprios conflitos… logo somos a única solução. Eu.

Desconhecido afeto

Olhos por toda parte da sala, mente por toda parte do corpo e a humilhação ainda continua existindo, as pessoas continuam sorrindo, demonstrando o lado humano ruim de ser. Sem sensibilidade não há contato, eu me sinto ferido.

Estar ferido não é uma desvantagem, pode ser acréscimo quando você fica parado, é o momento em que sua mente mais funciona… A estratégia torna-se fácil de ser visualizada, e os dados tentam rolar.  – Onde está você? Quando mais se ouve o grito de socorro, quando mais se vê o seco nos olhos, e quando digo olhos, também o vazio do estômago, o ser é fraco. Eu perdoo-os?  E minhas lágrimas? … Onde estão todas aquelas frases de amor, de carinho. As pessoas começam a cair, as mascaras derretem. Sabemos que o ódio é o mais sincero dos sentimentos, porque são as divídas que mais lembramos, o ódio é a dívida mais dolorosa. E qual  mensagem que realmente devemos receber, qual a palavra correta para ficarmos finalmente felizes, não está bom o bastante?

Qual será a solução para o fim daquilo que é ao contrário de afeto, o limite. Até onde vai o limite, até onde conseguirmos aguentar. Eu não entendo ainda porque buscar estas respostas se podemos simplesmente olhar um para o outro e compartilhar o que temos, é uma falha não ser o que somos.

Precisamos urgentemente separar as coisas devidamente. O sólido do liquido, a política e sua vida, a bondade do prêmio, para podermos repensar nossas ações. Podemos fazer sem receber porque queremos fazer, este é o afeto que não conhecemos, isso é o que falta. Eu preciso disso agora, porque estou caindo e você também, mas ninguém diz nada. Movimento. Falta multiplicar calor com abraço, falta ser sentimental. Isso não é exagero, é apenas um espelho do mal que o mundo se torna todos os dias. E isso sim é o fim. Não ter afeto por alguém é o final da estrada, inclusive da sua estrada.

O DRAGÃO

Toda vez em que me encostava na cama, vinha em minha cabeça, o dragão. Junto com ele, sempre vinha a dor, e minhas veias pulsantes me obrigavam a tomar todos os remédios possíveis… apenas pela dor insuportável na cabeça; Apenas pelo meu patrão, o dragão.
O que eu imaginava, era desejo, aquele que a gente não sabe que têm, mas que fica enjaulado até o cadeado não ter força e despedaçar-se e, sua vida começa, você deixa de sobreviver, e tudo pelo o dragão. Agora sou um idealizador de muitos sonhos pelo simples ato de me encostar na cama e pensar. Pensava sobre minha empresa, em tudo que poderia conquistar, sobre o quanto eu poderia ajudar, e a logomarca, era ele… O dragão! Comecei a ser outra pessoa, e a dor na cabeça cada vez mais constante parecia sinais, estes que só acredito nos reais, que vejo. E novamente por pensar, passei a deixar de só pensar, e comecei a falar olhando para o espelho, louco, como diziam, e em seguida nasceram várias frases e textos, que poucos se interessariam a ponto de ler é claro. Com o passar dos tempos, vieram as lentes, que derrubaram a dor por um tempo, mas só por um tempo, enfim. O pensar sem dúvidas me transformara, seria metamorfose? Pensava de novo, e de repente mais perguntas como: É só comigo, ou todos os seres passam pelo o dragão. As minhas falas em público foram ficando sem volume, mas os meus ouvidos eram famintos e, desde aquele tempo espera a hora certa pro sinal apontar, aquele sinal real como disse acima, até que no lugar de falar escrevia e escrevo, morro e digo: Devo morrer para o protagonista no texto nascer… E é tudo culpa da vitamina pensar estimulada pelo patrão, o dragão. Por este e outros motivos, o pensar, deixei de religião e tudo em sua volta, meu patrão começava a me mostrar que não era necessário tanta burocracia para fazer o certo, eu teria que criar minhas próprias regras, mas de forma cautelosa pois havia o respeito, e as pessoas tem um carinho por ele, eu devia ali me adaptar, e foi o que aconteceu e acontece, meu patrão, o dragão, me mostrara o ateísmo, que não sigo, mas muitos me chamam disso, e prefiro, mas quando você pensa de novo percebe que não é preciso segui-lo, é só ser… Você percebe que ele é você. Depois de tudo isso você gosta de ser enxergado e passa a enxergar as pessoas, passa a ouvir música boa e entende todo tipo de escolha, por que o patrão ta sempre lá pra lhe ensinar, ta sempre lá pra lhe chamar, o dragão te deixa esperto e não mostra o caminho, ele constrói com você até os calos surgirem. A informação sempre será a prerrogativa do sucesso, é James que diz isso, e continuará a dizer, se possível para os netos, e desta forma tenho um certo conhecimento, e descubro que não é “O” e sim “A”… Não era o dragão, era a consciência, e descubro que sua consciência pode ter a forma que quiser desde que ela FUNCIONE. Como base, deixo a conclusão: Conscientize: o medo cedido é maior sabedoria obtida, pra que não tenhas um futuro perdido, um presente sofrido e um passado marcado, deixe o medo de sair dos padrões de lado e arrisque criar. Qual é sua consciência?

Acúmulo 19

A diferença de ambiente tira minha conhecida criatividade. Adaptar-se para viver passa a ser a minha sede principal… Onde estarão as perguntas, quando meu cérebro necessita responde-las.  O acúmulo de ilusões se torna o golpe mortal menos querido, não muito amável… O espaço deve ser reconquistado, onde a glória é a última que vive. Irei obter coragem porque eu idealizo muito o futuro e  para arriscar necessita-se coragem. A sinapse de meus sonhos torna melancólico o desejo e a neuropatia me aguda, me deixando ao alto onde proclamo pela o conhecimento que espero que tenham todos. Incompatível, irreversível o ato feito, em toda esquina em que conheço alguém experiente, desejo ter este reciproco conhecimento e digo irreversível porquê conhecimento ninguém irá tira-lo, é seu, guarde. As coisas funcionam quando você consegue compreender e ser compreendido por outro ser, desta forma as coisas fluem, a vida cresce, você se torna melhor. Depois de tanto tempo me sinto vinho, e quero ser muito mais valioso com o passar do tempo, eu quero ser reconhecido pelo o que me tornei. Treze de setembro, meu aniversário… Mais um ano passa, e escrevo simples para me desejar parabéns. São apenas dezenove tentativas acumuladas em um cérebro simulado pela razão obtida nesta pouca história, eu desejo ser grande, eu desejo ser mais. Não é ganância, é… aproveite a vida enquanto podes ser melhor. Os anos servem para avisar que passou, e espero que este passou não inclua as boas ações.

Surpresa

As melhores coisas acontecem quando você não espera, geralmente, são nomeadas de surpresa. A surpresa é algo que não irá lhe impressionar, a menos que você deseje ser surpreendido. Está correndo tudo bem, no momento minhas mãos tremeram, mas, sei que depois irá acontecer diversas raras situações, e digo, irei ficar surpreso, porque desejo sempre, ser alegre, tomar um susto de carinho. O trabalho é aquilo que você quer fazer, aquilo que é feito sem querer, nunca poderá ser chamado de trabalho e como dizia Leonardo da Vinci: ” A sabedoria da vida não está em fazer aquilo de que se gosta, mas gostar daquilo que se faz ” … E irei começar a minar ideias baseando no que gosto; que é promover informações, dando ali naquele momento o direito para todas as pessoas de estarem cientes sobre o que acontece ao seu redor! Eu tive uma surpresa e quero surpreender a todos que me a propuseram. Não podemos contar tudo, deve existir suspense para ser uma surpresa, enfim, até logo!

A sensação de

Do alto da tristeza sou um advogado da destreza. Por tempo eu andei e aprendi, como aprenderei ser justo. Eu posso dizer que não irei desistir de você, porque não desisto de mim, e seria injusto não acreditar em sua capacidade quando acredito na minha, e se sou justo e acredito em meus conceitos óbvio… concluo que não desistirei de você. Encha com o mesmo gás de coração o cérebro, é justo que os dois flutuem em mesma altura, e que seja ternura a aventura de apostar em você e enxergar o sentido de a sensação de… de tempo como sopra, de sonho como volta; de vida quando funciona. Os opostos estão se colocando, e mesmo assim setembro não perde os seus passos, mesmo assim as gotas de chuva são idênticas aleatoriamente vendo. O que aconteceu com os seus conceitos? Várias questões! E quem tem o direito de dizer que você mudou, quando você não queria mudar, desta forma não estava sendo você! O que acontece é que eles se questionam, pois, a dúvida funciona como combustível, para a luz quadrada funcionar. Onde está o vento, o sentido da certeza. Delirante é neste instante, estou, me sinto sozinho! E gosto sozinho, mas confesso que o xadrez não é o mesmo. Percebe-se e descordem de sentimento. Eu percebo e por isso sou bastamente idiota. Bastamente seria a teoria de fim, onde existe um basta que basicamente não me permite chegar ao ápice em determinadas características que obtive de acordo com o conhecimento que se conquista em uma vida. Ninguém sente sem conexão. Estamos loucos por razão, estamos loucos por não ter opinião, onde está você!? O mundo chora e eu sei que ele chora. Complemento: Fantasias de destino, me fizeram plagiar um amor platônico que todos os românticos já criaram, deram de comer, para a própria morte! Bastamente eu estava deixando de ser idiota. Percebi que sou jovem, e ainda não vivi, estava sobrevivendo, vou agora enxergar de verdade os sonhos que tenho, quero pegar e sentir todo minha honra e glória! A sensação de vencer só é sentida quando depois de um caminho. Boa sorte não, mãos à obra! Enfim a sensação de… tudo o que eu quiser!

Pequeno texto de um ser prestativo

Prestativo…
Um, dois, três.
Pensativo…
Três, dois, um e já:

Cada segundo juntos quando desejamos torna-se raro, e tudo que é raro fica grudado na memória, e toda vez em que empolgados estiverem estes, irá ser mencionado este raro. E novamente felizes estarão! Quando alguém mostra ser prestativo, tenha a certeza que não é por interesse material algum. Este alguém certamente gosta de lhe ver feliz. Ser prestativo é se orgulhar por cuidar de um amigo ferido, e lhe digo: Não existem tantos que assim são. Torne cada segundo como este raro, segundo junto a um amigo prestativo, que se importe com você. E é isso que importa… Pessoas que se importam com você! Faça um álbum de memórias boas e à seu gosto!

Não consigo pensar em mais nada… um, dois, três e fim.

Passional

Existem histórias que servem apenas para se contar, porque nem sempre o que se viveu servirá de exemplo para o que se pode conquistar, desde que então esteja se baseando em sua história. Sou passional, odeio carnaval, e com isso digo que a ponta do início do começo na cabeça do minuto me deixa tonto todo besta quando sinto, quando amo sem ser amado na verdade. Pensando em o que eu iria fazer para botar a minha sensação de querer de nova foto de vida, de fotos de amor. Eu quero tirar mais uma fotografia de amor, sem usar o flash, para não ficar muito meloso, mas, me arrependo e lembro que sou um doce, atraio muitas formigas, por isso acabo me afogando as vezes, e por isso desisto da vida, e nunca completo a desistência, mas sei que um eu irei conseguir, e me desculpe, Eu James iriei partir. Ser dramático quando ouve música me torna uma falácia sempre quando digo que tenho força. SER SENSÍVEL também é um dos grandes erros genéticos ou frenéticos que se tornam frequência de acordo com a frequência que minha história vem se criando. Desânimo tenho bebido todo fim de dia na sexta, quando os dias de semana se esgotam, e chega aquele sábado que eu iria convidar para aquela luz tela quadrada, podermos apreciar, não é concreto, nem se completa. É um desespero guardar muita coisa na cabeça, pois não há alguém que pense tão bem, a ponto de fazer, a batida do coração diminuir, quando seus olhos se juntam com aqueles outros olhos… e infeliz eu de novo passional demais para ser mentira, e acabo me derramando na cama, mas, ela não tem a mesma utilidade como sempre, apenas se torna um “T”… Tédio. E sem respostas, sobre amor, sobre vida, sobre morte, não sei se valeria a pena, partir e por este motivo, o valer a pena, eu ainda não fui. Sou orgulhoso de mais a ponto de saber que posso provar todas as minhas mascaras e qualidades, visando sempre o meu brilho e o seu bem. Eu perderia muita coisa, que eu poderia ter, pra agora, por alguns minutos ter você. E por assim, tão cinema esse meu jeito, tão teatro essas minhas lágrimas, um dia também já havia pensando em chorar como ator, para fingir que é cena, e conseguir chorar em uma cena que queria que ocorresse. A cena pode ser falsa, mas, enganar o sentimento ninguém é poder para fazer desta maneira. Sou passional, sentimental e ainda tento pensar, mas mesmo tendo razão, a emoção descontrola todo tipo de frequência que havia então criado, por isso minha história deixa de funcionar, não é pilha que falta, é vontade, porque eu sou um ser, e ser sente. O mundo com sua maneira fria de se mostrar mesmo não sendo ele, me machuca. Não tem sentimento sem pessoas, sem abraços… e esse sentimento da cabeça é suicídio e não quero faze-lo. Pensar, pensar e penso porque estive sozinho este tempo todo, mas se houve pessoas, eu não pensaria tanto, eu iria me importar em só amar, e agora pensando tanto, percebo que preciso, eu sou falta daquele que se diz o mais vazio, é tristonho, mas, seu eu não digo, continuarei pensando, e só pensar não basta, a gente pensa, pra poder falar bonito pra alguém a ponto de faze-la lhe amar, mas achar alguém e faze-la sentir, nem o mais pensado há de conseguir, não… Não tem destino, tem estrada, e ela só existe quando queremos. Eu sinto a todo tempo, e escrevo a todo tempo, fica na cabeça e só as vezes, eu choro aqui, porque como eu disse, a gente pensa para falar bonito e agradar alguém, sou evolução, e o processo é doloroso… Seja bondoso com quem quer dizer, ouça.

Se eu pudesse mudar o tempo

Provavelmente, eu, mudando o tempo… voltaria nele, segundos, minutos até dias talvez pra frente! Cairia nesse túnel de cabeça, como se fosse um mergulho em calda de chocolate. Iria encontrar com Jesus, ouviria suas poesias de perto, aprenderia sobre este suposto amor que estão no futuro daquelas páginas, tentaria o máximo concluir. Mais tarde, eu iria bater um papo com Sócrates, perguntar que diabos é essa de consciência do homem. Iria tentar entender antes o que depois não consigo ler. Ah… Se eu pudesse fazer, voltar, ver. Eu poderia passar um dia planejando outros dias, sei o futuro. Escolheria a segunda, iria até o sábado, e claro, domingo um descanso. Toda vez que eu me perguntasse, se deveria ir ou não, na verdade: nunca haveria me perguntando se deveria, eu apenas iria. Sei o que irei perder caso não fosse, mas na quarta eu já desisto, não perderei muita coisa, faltarei a aula hoje. Que bela garota vejo… Você sabia que eu irei viver com ela um dia?! Pois é, já vi todas as cenas, não sei se terá o mesmo gosto, e tenho uma surpresa; eu não vi que ficarei em dúvida sobre se eu soubesse o que faria. Sensação estranha, talvez você tenha sentido isso um dia também… Fica complicado mesmo sabendo o futuro, pular do penhasco sem a barriga fria não tem graça! Eu não quero mudar o tempo, me questiono: E se eu me arrepender, e o pior?! Me arrepender de não ver que iria me arrepender. Eu vejo apenas o que aconteceria, não a maneira como meu sentimento funcionava. Ta ficando chato, ficar mexendo nos ponteiros do relógio estraga a engenhoca! É melhor deixar a água cair naturalmente, funciona mais rápido sendo eficaz. Se eu pudesse mudar o tempo, eu retiraria de mim, o (pudesse). E bateria a cabeça, com aquele maravilhoso frio na barriga.

Clarice que disse

Conheço há tão pouco tempo, mas sinto que conheço desde quando nasceu, e começou a fazer suas escolhas. E no meio disso tudo, vamos dizer psicodélicas, escreverei essas palavras. Clarice, quem disse que poderia deixar de tela; quem disse que sua alma merece ficar aqui no mundo cego e fútil nas horas que se precisa. E quem disse que o coração um dono já há. O pouco que sei, é de fato a razão para o conteúdo que jaz em você, consegue demonstrar, intimidar, e fazer ter medo. Consegue por a fogo suas provas de vida, e por mais que sejam inúteis tais palavras para você, eu sei… encontrará o significado. Das coisas que eu entendo e que tu entende, são ambos semelhados, se batem e quebram até chegarem a uma conclusão. O que me ensinou: Mente necessita de mente, um necessita de ser dois e coração necessita ser um. Em modos explícitos, tenho que sobrepor para dizer que deve viver mais. Necessita de ti o mundo… E juntos, para com outros “Make a chance in the world”. Visão jovem inteligente, me faz perceber. Leigos eu e você não somos, sabemos aonde ir e para que onde for… Concluiremos nossa missão trazemos paz para os corações… E você, mais um ano… Viva, viva Clarice, quem disse? E agora a rainha completa mais um ano de reinado, que seja feita mudanças… melhorando, aprimorando, ajudando! Eu precisei, e fui ajudado, ela Clarice venho ao fato. Disse-me: Quem tem razão se não dá opinião!? E qual é o texto, se não é/foi lido… E quem somos, Se não amados, e que eis se não julgado. Meiguice se esbanja, muitos doutro hora, pensam ser ofensas, mas apenas um olhar de quem, sabe julgar, proteger e governar. É metida como dizem… Mas fatos improváveis… Não sabeis julgar, não julgues. Seu mal, é ser bem, mas o mal vira bem, quando mais se tem, então o bem se dar por vencido! O mal tropeça e executa o bem e faz bem, muito bem. Clarice, quem disse?! Eu… Alguém, semblante apagado, mas coração flamejante. Estarei lá e aqui quando precisar. Clarice, que disse que o melhor de ser outras frequências, é ser uma frequência, juntos pedras retirar, para juntos se eternizar. Bem não sei o que digo, e nem o que escrevo na maioria das vezes, tudo sai de maneira descontrolada, e por fim se tornar uma “obra”, mas espero que junte fagulhas e busque significados. Pequenas coisas podem vir de grandes intenções.

Ossos

Eu tenho ossos se infiltrando, tenho medo me tomando. Eu tenho sangue fazendo pista, deixando minha estratégia frágil. Eu vejo minha vida se acabando, meus erros e o que estou me tornando! Eu quero voltar, eu quero corrigir. Eu vejo a dor me dar tapas, estou gritando eufórico pela ajuda…. As palavras nunca esvaziarão, é como água reutilizável, sempre vou fazer chover. A cada novo amor platônico, uma tonelada de incerteza para cada, lhe/me deixa sem caminho. Quando não se sabe resolver a vida, não se consegue e não existe possibilidade de conseguir organizar outros fatores… E cria-se sonhos. Seu coração é uma pedra, e não faz diferença se eu tentar ir até lá, você não iria sentir, sentiria? Eu não sei muito me concentrar, e o medo de ouvir algo negativo me fez errar tanto, todo este tempo. Com amigos e com os que tentei ser mais que amigo. Faltou realmente cara de pau em certas horas, que na verdade eram segundos, mas quando se trata de coragem o tempo não passa. Não tenho segurança de mim mesmo. Eu queria diz sempre a mesma fala, sentir da mesma forma quando desejado. Queria saber pular, nadar, esquiva-me de qualquer problema. Eu não vejo problemas em gostar, vejo problemas em não dizer que gosto. Tenho que fazer, tudo que querer voar como pássaro, eu deveria abrir a gaiola. Mas, quando você é a gaiola, quando você é presídio, é complexo a mudança, e por isso estes conflitos. Ouço o som de meus ossos toda manhã, e é como se meu corpo dissesse para que eu enfrentasse logo tudo isso, quebrar o nariz com a vida é bom para mais tarde. Vou parar de chover toda noite, eu juro que irei continuar esta mudança.

Dois mil e quatorze

Ontem paro observo, a cena do jornal do que quero. E mesmo sendo tão anormal sua imagem semelhança me tira o mancal, fico abismado com sua beleza! Perco os sentidos me mordo na loucura. Depois deste ano que fica no passado e me faz pensar no futuro, não consigo focar em viver. Todas as ideias que tenho são baseadas em você! Eu não quero, mas a mente, essa sem noção, não para nem um minuto de ver as nossas mãos. Sua força desmancha o emocional. Dois mil e quatorze, são tantos dias que lembro apenas de um. O olho em cruz já criava a sensação…. Eu me via cair; eu me via superar tudo que vivera até ali, eu me via. Em uma destas visões você está ao meu lado, e eu gritava duas mil e quatorze vezes: Eu vou mudar, virar muda para me plantar, crescer diferença e fazer com certeza, sem erros, sem atrasos… você enfim me amar! Era angustia, era vontade. Eram tantos misturados que sentia tonto sempre de tarde. Não consigo parar de ver seu olhar me enxergar. Respire, eu dizia a mim mesmo, e ainda digo, continuar com esta ideia de Stefan Zweig aos 60 não irá melhorar! Respire, e me digo hoje aqui, mas confesso que continuar, é o mesmo que, com o próprio fôlego soprar estas velas, digo e sinto que as bochechas estão doloridas, e mais ainda, meu coração. Eu sinto.

Contexto de James

Ler devagar faz entender quem escreve e se entende quem lê. Pare rigidamente em cada ponto, e siga em frente.

Em todo momento, todo momento… eu estive ali. Eu juro! As minhas lágrimas são motivos da existência de tudo o que me tornei nos últimos anos. Todo o sofrimento que enjaulado em minha em meu coração e cabeça. Um sofrimento incompreensível para todo olhar externo. Eu mesmo faço este contexto triste de quem sou, mas não sou eu… são alguns erros mal resolvidos que me fizeram ter esta postura. Eu sou um ator, um artista, alguém sensível de mais a ponto de não querer e conseguir chorar na frente de outras pessoas. Sou o cara orgulhoso que no fundo escuro de seu quarto sente o gosto da maldade de quem não o compreende e lhe julga por sua aparência. EU-NÃO-CONSIGO-ASSUMIR-MINHA-IDENTIDADE! E me arrepio de desejo de gritar com meu peito o quanto eu tenho para oferecer, que todo abraço que não recebeu eu irei tentar suprir; que os momentos que feliz que não passou, eu irei tentar fazer você sentir! Porque tenho preso em mim sentimento de anos e anos. Palavras não ditas se prendem nesse nó de garganta, da vontade, do desejo de abraçar; do desejo de estar… eu tenho, tenho. Meu contexto é longo e chato. Saberei se me amas, quando ouvir a última palavra. Eu nunca amei de verdade, nunca tive a oportunidade como todo jovem deve ter. A experiência de estar junto com alguém cujo você compartilha seu dia, sua tarde e vive a noite. Essas são as letras de meu corpo, tome-as, pegue-as, leia!  Eu preciso ser interpretado…. Ah! Que dor, que angustia, que vontade de viver de verdade! De palavras que desejo, que odeio agora eu sinto de todo o planeta, de todas as pessoas, elas estão erradas! EU SOU O CORRETO! Vou ficar em canto calado, e um dia irei provar todo o meu poder…, Mas não é assim que saberei resolver os problemas que nunca enfrentei. Enquanto não houver uma intervenção com a intenção de dizer que errei, enquanto eu não dizer não estarei pronto para viver. Nem todo bem material irá suprir meus desejos, nem toda música irá dizer as palavras que preciso ouvir. Em cada dia eu tenho um sorriso diferente, mas nenhum deles me satisfazem, e nenhum dizem para quem eu converso que estou interessado. Penso e já pensei em morte, e garanto a você que parei de colocar culpa no planeta, não tenho ódio dele. São centenas de horas para conseguirmos compreender quando estamos errados, e mais meia dúzia para aceitarmos isso. As gotas estão se esgotando, isso significa que a tinta deste contexto também. Eu continuarei esta minha história que em todo momento é verdadeira!

Estou cheio de estar ‎perdido‬

Na rua as pessoas olham, parece ser normal, mas, o pensamento em minha cabeça diz que não é normal. Normal seria elas olharem, mas estranho seria o que olham. Alguns passos à frente depois de perceber que estava sendo muito observado, busco algo que cria reflexo, quero sentir, e ver se realmente existe nexo neste olhar que me assemelha pré-conceito. A rua é tão seca de informação, que quando alguém tenta molhar, deixar molhado para tudo funcionar, eles negam e começam a odiar. Por outro lado, tem gente igualzinha a você, com mesmo gostos, e um futuro desejo bem parecido. Eu estou perdido, porque as pessoas não me deixam encontrar, você pode estar perdido, porque não se gosta de amar. A cada momento que tento algo novo, que tento mudar na minha imagem, eles ainda continuam a olhar. Preciso deixar de estar perdido, quero me encontrar de uma forma que não me sinta perdido entre tantos olhares. Quero sentir orgulho por ser admirado, mesmo não sabendo o motivo. Personalidade seria um erro? Querer ser diferente é um erro? Ser diferente por nascença é um erro… A doença é um erro? OU…. Ser subjetivo é uma missão difícil, e por este motivo invejada… onde estão escritas estas regras, e mesmo se escritas quem poderia dita-las. (?) O erro é deixar de querer ser o que você deseja sentir. Viva o que quer sentir, grite pela sua liberdade de querer, estar e amar. Perceber não estar perdido é melhor forma de agir contra o pré-conceito, e em seguida preconceito. Você não tem o problema que acha ter; personalidade não é algo externo; sua doença está dentro de você. Aceitar os fatos as vezes nos custa caro, mas para se pensar: ” Basta você gostar de você, para enfim: os outros gostarem de seu gosto…” E mesmo se não gostarem não faz diferença caso você não queira que faça! Sinta cheio de estar bem consigo mesmo, estando bem, não haverá o (perdido).

Escolha

Se temos uma vida tão legal, a ponto de não querer mudar nada, por qual motivos ainda pensar em problemas?! Talvez pensamos em “problemas” de uma maneira tão exagerada, que usamos este nome para nomear qualquer coisa que sai do nosso plano. E quando sai do nosso plano, estou dizendo que sua escolha não era um bom plano. Quando você deseja, você quer e se você quer, você se excita. Sendo assim, sua escolha vai depender do que sentir desejo. A escolha é uma base para se construir, e mostrar o quê, e quem você quer ser ou continuar sendo. O momento bonito, só é bonito, porque você o quer bonito. E sua vida só será boa se você planejar e fazer escolhas certas que podem fazer ela melhor. Tentando ser mais correto, já que não sei o que é correto para você: escolhas certas talvez não seria o caso para sua vida torna-se perfeita, não podemos esquecer do acaso. Para uma vida ser quase perfeita, necessita-se de: O planejamento!”. Planejamento de tudo mesmo! Casa, mente, família, sua mochila… Eu não acredito em destino, e caso você acredite, eu não me importo, afinal, não faz diferença. A verdade é apenas uma interpretação. Você vive e pisa no chão que foi baseado em suas interpretações. Então continue achando o que quer achar, viva esta sua verdade. A coincidência existe, e é apenas um ponto de vista individual, extremante meu! Pois tive a opção ao fazer escolhas. Quando estamos determinados a fazer algo, na maioria das vezes não sabemos o que nos motiva, apenas fazemos, mas no meio da ação, a gente espera resultados. Receber por alguma atividade que fazemos é uma forma muito explicita de motivo para fazer de novo. Comecei a chamar esses textos que aqui deixo de ” Masturbações mentais “, graças ao Gabriel, isso, O pensador… Pensa tanto em dor, que o Brasil agradece pelos curativos intelectuais. E eu tive a opção de escolher isso. Eu quero que seja assim, pronto. Nada é por acaso, tudo é por UM caso, e baseando-se em sua escolha que é chamada de caso, haverá sempre outros acasos. Devemos misturar frases, porque viver é uma conexão, é uma garrafa de escolhas que se torna o que somos. Sempre deve existir uma cautela em escolhas, pois elas dizem o que somos e pra quem vamos ser. Você pode ser invisível o quanto for, mas enquanto estiver sustentado em suas escolhas, desejos, sonhos, e claro planejamentos, mapas… Você será o mais forte da tribo, e olha, não conta pra ninguém suas ideias, a capacidade deve ser sempre invisível, digo: Imprevisível.

‎Arrepio‬

Se temos uma vida tão legal, a ponto de não querer mudar nada, por qual motivos ainda pensar em problemas?! Talvez pensamos em “problemas” de uma maneira tão exagerada, que usamos este nome para nomear qualquer coisa que sai do nosso plano. E quando sai do nosso plano, estou dizendo que sua escolha não era um bom plano. Quando você deseja, você quer e se você quer, você se excita. Sendo assim, sua escolha vai depender do que sentir desejo. A escolha é uma base para se construir, e mostrar o quê, e quem você quer ser ou continuar sendo. O momento bonito, só é bonito, porque você o quer bonito. E sua vida só será boa se você planejar e fazer escolhas certas que podem fazer ela melhor. Tentando ser mais correto, já que não sei o que é correto para você: escolhas certas talvez não seria o caso para sua vida torna-se perfeita, não podemos esquecer do acaso. Para uma vida ser quase perfeita, necessita-se de: O planejamento!”. Planejamento de tudo mesmo! Casa, mente, família, sua mochila…. Eu não acredito em destino, e caso você acredite, eu não me importo, afinal, não faz diferença. A verdade é apenas uma interpretação. Você vive e pisa no chão que foi baseado em suas interpretações. Então continue achando o que quer achar, viva esta sua verdade. A coincidência existe, e é apenas um ponto de vista individual, extremante meu! Pois tive a opção ao fazer escolhas. Quando estamos determinados a fazer algo, na maioria das vezes não sabemos o que nos motiva, apenas fazemos, mas no meio da ação, a gente espera resultados. Receber por alguma atividade que fazemos é uma forma muito explicita de motivo para fazer de novo. Comecei a chamar esses textos que aqui deixo de ” Masturbações mentais “, graças ao Gabriel, isso, O pensador… Pensa tanto em dor, que o Brasil agradece pelos curativos intelectuais. E eu tive a opção de escolher isso. Eu quero que seja assim, pronto. Nada é por acaso, tudo é por UM caso, e baseando-se em sua escolha que é chamada de caso, haverá sempre outros acasos. Devemos misturar frases, porque viver é uma conexão, é uma garrafa de escolhas que se torna o que somos. Sempre deve existir uma cautela em escolhas, pois elas dizem o que somos e para quem vamos ser. Você pode ser invisível o quanto for, mas enquanto estiver sustentado em suas escolhas, desejos, sonhos, e claro planejamentos, mapas… você será o mais forte da tribo, e olha, não conte para ninguém suas ideias, a capacidade deve ser sempre invisível, digo: Imprevisível.