PROFUNDO

A distância das pessoas não impede que elas sintam profundamente aquilo que os muda; que os cativa. As vezes, e no meu caso a maioria das vezes, apenas a voz é capaz de fazer com que eu sinta meu corpo arrepiado. Fica uma bagunça danada, a gente perde o chão, mas ao mesmo tempo vê ele vindo até os nossos pés. Gostar e dizer que gosta pode ser melhor maneira de dizer eu te amo desde o inicio. Porque a gente sabe, que eu te amo não é a frase… são as coisas que a gente faz. Estou bastante inspirado para expressar o que sinto, mas também não sei o que dizer. É profundo pensar; é profundo ouvir e também ver. O real sentido da vida e do que somos está aí! Sentido… percebe a palavra? O sentido está em sentir, em gostar, em ter emoções. Todas as pessoas merecem sentir isso. Peito apertado, coração acelerado… cada segundo é especial. O caminho pode ser totalmente diferente, quando se tem alguém especial no meio dele. A gente pega a bagagem e vai para outra direção. A dor significa dizer algo, e saiba que o sentir frio na barriga também diz algo. Você está profundamente apaixonado, assustado, ou simplesmente com muita vergonha. É normal. É ser gente! Amor platônico é aquilo que está acima, ou abaixo de quem somos e onde podemos alcançar. Eu acredito ser além. Se é amor, torna-se ainda mais acessível. Faça o que puder fazer, faça o saudável, o recíproco! Seja profundo, e leve cada sentimento seu a sério. Não se sabe quando a gente pode perder essa coisa pura. A gente percebe tudo que é bom, todas as características especiais, cada detalhe! Por isso os olhos brilham. Quando se é amor, é profundo… e profundo significa algo que é grande, que demora, que precisa de cuidados. Seja atento, e não perca as oportunidades! Boa sorte e obrigado.  :)

O dia em que o amor nasceu Part.1

A gente temia quando ele vinha. A capa preta fazia qualquer um perder o fôlego, a ponto de cair ao chão desacordado. Ele era tão seco por dentro, que ninguém poderia preencher aquela sequidão. Seus olhos fundos ao ver luz, e uma taça pendurada na cintura… tão unitário, que vida, nem fazia questão de ter ao redor. Nós que éramos fartos, não sabíamos como recebe-lo. As vezes aparecia do nada, e levava mais uma vida sem dar explicação. E há quem diz, que tudo foi por uma gota de água. Temos que saber viver, dar uma gota para toda a jarra receber. Ele quando moço, nem ligava com essa história, apenas andava sozinho, gritando para todos: “Dá minha AGUÁ ninguém bebe” … Até subia os fios de cabelo nas costas, me embruscava de medo quando dizia. A única coisa que a moça havia pedido, era uma gota de água. Ninguém sabe de onde vinha, mas todos davam com alegria. Exceto. Tão ruim que, sentiamos dor nas pernas ao correr dele. Aquela jarra santa, que nem se viesse algum ser de outro planeta, oferecendo algo em troca, ele negava. Filho de João Aparecido e Maria das Dores, João D’água rei daquele grande chão. Fazia até pena vendo os bois morrendo pedindo perdão. Mas tudo mudou, tudo havia de mudar. E foi quando João D’água havia visto a moça mais bela que existiu naquele pedaço de chão. Seus olhos que eram fundos e amargos, haviam acordado, pela primeira vez, vi o rosto do cabra. Tirou o chapéu e cumprimentou. Moça, vindo de longe, cansada, disse apenas uma frase “Poderia me oferecer um pouco de água moço”. -Eu já imaginei a cena. Mas não! Ele mudou de expressão, e encantado pegou sua taça da cintura e colocou um pouco de água para a moça. Eu nunca imaginaria ver aquela cena. Achei que iria ver João D’água morrer, sem oferecer uma gota de água que seja. A moça termina, e diz que tem de ir embora. João sem palavras, apenas queria saber mais sobre a moça, que por sinal parecia muito com João. O jeito de vestir, a expressão do rosto. E aqueles olhos, com as pálpebras cansadas. A água é tão sagrada que para limparmos o nosso corpo, usávamos a mesma água durante um mês, ou até mais. Quem tinha água limpa era rei. E o João e sua família, sempre dominaram aquelas terras. Todos com o coração de pedra. Trocar água era realmente algo que poderia acontecer apenas com familiares. Água limpa, mas de onde vinha que era suja. Aquela família miserável, todo o povo morria de sede, a família de João D’água nunca ajudou. E foi assim por vinte e sete anos. Nós que não tínhamos quase nada, andávamos 26 km para pegar 7 jarras de água. E ainda não era água limpa. João nunca olhou nos olhos de uma pessoa, porém quando ele olhou para Rita, – A moça mais linda que existiu naquele pedaço de chão. Sua vida mudou. O amor acendeu, e o sentimento pediu para entrar naquela casa vermelha que agora pulsa, e pede por paz. Quem sabe o amor é a verdadeira vela de um ser. O motor, o cabresto. Ou até mesmo a verdadeira consciência. Ele a encontrou e resolveu deixar tradições… – James Oliveira

Fase

5 de junho de 2015

Eu costumava ser mais eu. Existia em mim, um tipo de ser que sentia a todo tempo. Me desculpe, eu disse que existia quando na verdade existe, e sinto a todo tempo. Eu estou preso em uma prisão feita de isopor, tão fácil de sair, mas a resposta das pessoas é que me obriga a voltar. Eu costumava ser mais alegre, ser palhaço, eu estava vivendo. Não pensava muito, a mente criança, uma semente…. Mas pelo menos eu me divertia, sorria. Quando a gente cresce e começa a sentir outros sentidos, nasce e cresce também outras dores. Viver a verdade do que é a vida, deveria ser mentira sempre…. Imaginar como se quer, é que deveria ser a realidade do que a gente poderia passar a ser. Apaixonar para de ser aquela brincadeira, e tudo como sempre que se torna realidade tem uma ou várias desvantagens. Para ser sincero, apenas conheci as desvantagens, e é tudo culpa minha. Eu queria encontrar toda noite quando esfriar, a sua mão para de alguma forma me conformar que logo estarei sentindo calor. Seria mais fácil se eu não fizesse mais difícil lá atrás.

– MERDA, MERDA, MERDA!!! Preciso urgentemente beber de mim, para sentir o gosto de ser eu…. Me tornei então hipócrita, me desculpe pessoal, eu sou do bem, e toda vez que sal queima meus olhos, é de saudade de ser eu… Aparência, aceitação, justiça, sociedade e claro, a culpa não é de vocês, eu que errei e não consegui seguir os padrões, padrões, padrões.

Eu odiava uma parte do que eu costumava ser. É claro que conheço e reconheço que todo feito tem bem e mal. E sim, existia em mim um sentimento legal, eu andava no caminho. Quase abracei os padrões. Cresci e vivo em interior, conheci dezenas de cidades, pisei por lá e tentei em todas me adaptar, mas por causa da droga do meu erro em andar lá atrás, não consigo terminar um suco em público. De novo quebrei aquela parede de isopor, eu não queria, eu encontrei a cabeça naquela parede, e tentei fazer que o vermelho brotasse em minha testa, mas continuava tudo branco, aquelas bolinhas infernais, eram isopor.

– Droga, Droga, droga! Eu comecei a mudar, e tenho razão para isso. Já fui humilhado o suficiente, mesmo sabendo ser capaz de fazer melhor e reverter o processo de humilhação. Se eu não usasse essa hipocrisia para me defender, eu me sairia muito bem, eu sei, mas depois, eu iria encontrar uma multidão, o colégio é forte em influência.

Eu estou me amando mais, eu juro. Conversei com quem me fez respirar, e ela soube me ouvir, obrigado. EU prometo para mim, que serei quem quero ser, porque tenho desejo, muito desejo de poder ficar frente a frente de quem gosto, e dizer muita, muitos, tudo, todo, vários, centenas… eu só quero sair dessa fase, e amar olhando nos olhos. Sempre existiu uma política para quem perde e ganha, está na hora de ganhar.

“But give me love over, love over, love over this, I… and give me love over, love over, love over this, I”

FAÇA!

Você já parou para pensar, a quantidade  de pessoas necessitam de ajuda, ou o quanto pode ser grandioso o momento em que você pode ajudar alguém, e não só “alguém”, mas animais, – lembrando que eu considero animais também alguém… eles são alguém! Já por algum momento se preocupou com que está acontecendo com o planeta inteiro?

Eu te pergunto, e o tempo? Tem alguma importância pra você? – Lembrando que eu estou me referindo ao tempo perdido! O que você vai fazer quando crescer? – Eis a questão!

E o amor, e o amor! E O AMOR! Você sabe o significado de amor? Eu não estou me referindo  ao amor que você diz sentir por alguém, que você só se relaciona a um mês! Eu estou dizendo sobre o amor que você tem sobre: o que você conquista; o que você é; sobre sua família; sobre suas ações e resultados. Mas porque dizer isso tudo? Bom, são coisas simples ao dizer, mas muitos complicadas na pratica. E este tipo de “coisa” as pessoas não gostam de comparar, ou seja, não é popular! Eu digo comparar é claro, no sentido de ser melhor do que o outro… e eu pergunto: você sabe porque elas não comparam? – Não existe vantagem no ego. Um exemplo: é muito melhor você dizer que seu celular é melhor do que o meu, do que dizer que doou sua mesada do mês! As pessoas se sentem melhor doando para elas mesmas; as pessoas tem vergonha de dizer eu te amo(inclusive eu)! Infelizmente hoje está cade vez mais real. Eu peço que você fuja disso, por-favor! Eu tenho uma dica: tente ser melhor todos os dias. Diga eu te amo!

A ajuda é uma necessidade de sentir-se bem e fazer o bem. O pensar é ignorado, porque agir sem pensar é muito mais gostoso! Mas, apenas por alguns estantes ele é gostoso. Depois frases do tipo: “eu não acredito que fiz isso,” – ” Eu não deveria ter falado aquilo;” – Ah, eu deveria ter feito isso, deveria ter feito aquilo.  Mas nunca fez! Acorde!.. e PERCEBA: que tentar ser solidário não muda o mundo! Você têm que fazer! E é exatamente isso que quero livrar de você: o tentar. Livre-se desse maldito ego quando estiver entre seus amigos; quanto estiver entre família! O ego só é importante quando sabemos aceitar o ego do outro. Pense e pergunte, para alguém pensar e responder. – Seria o mesmo de que: queira fazer e faça, para alguém querer e refazer.

Já sentiu aquele alivio quando fez algo de bom para alguém? Imagine você sentir isso todos os dias. E é uma tarefa fácil! Mas para você concluir essa tarefa diária, você tem que impor na sua mente uma lição: a compreensão! (não digo no vídeo)… Você deve aceitar as coisas como elas são, as escolhas como elas são escolhidas, o ser como ele quer ser… o gostar do que ele gosta! ACEITE!

E quando falo sobre tempo, é que estou querendo alertar que o seu está se esgotando, e quando passa… não se pode fazer nada mais nada menos do que se arrepender! Mas se arrepender com pouco tempo não é muito coisa não é verdade? Por isso: faça ações em busca de boas reações, ajude o próximo, aceite o próximo… ganhe ajuda e escolha o que quiser sem ninguém da pitaco! E não dê pitaco nas coisa dos outros!

Mas sempre lembrando, que isso deve começar por você, ninguém vai tomar as atitudes que você precisa; ninguém vai estudar por você! Comece dentro de casa, bem la no fundo de casa… da sua mente!

Pra quem quiser ver esse texto em vídeo: Clica AQUI.

Decência

.
No mundo estamos ativos, no mundo estamos.
A gente trabalha, melhor dizendo, pouca gente trabalha.
A gente se sente livre, porém, quem é livre afinal?
Existe o desejo, mas poucos se concretizam.
Existe o medo, e ele assassina desejo.
A gente sonha também, e chora as vezes.
A gente é decente, mas nem todo mundo usa decência.
É estranho dizer… Mas sempre existirá PORÉM!
A gente é pleonasmo, a gente vive nele.
A gente precisa explicar, que ser bom para outra pessoa é o mesmo que ser bom consigo.
É triste pensar, que é preciso ensinar que amor é reciproco.
A gente pensa demais, aí o tempo acaba, e nem um abraço se recebe.
A gente ama, mas fala de mais.
A gente erra, e errar é natureza.
Existe tudo o que é bom, entretendo, se esquece que existir é ação.
A gente é porcelana, e a raiva nos racha!
Eu, James, falo de mais, sou gente.
Mas na cabeça, existe interrogações:
O que é preciso fazer para ser bom?
O que é preciso fazer para ser útil?
O que é preciso fazer para ser único?
O que é preciso fazer para mudar o jeito de ser?

Vermelho

A conexão é inevitável quando se usa os olhos, desta forma, caso realmente exista uma verdadeira troca de olhares, no sentido de: eu quero enxergar; quero poder lhe conhecer… O ponto de partida será necessário, pois não se protege da chuva sem antes pegar o guarda-chuvas. Tendo isso como referência, digo com a certeza de que estou certo que houve aquela esperada troca de olhares, e não só troca de olhares, existiu uma profunda observação e ao mesmo tempo apreciação em relação a ambos seres humanos.

Vermelho… vermelho é o que se via… os instintos se ativam e os pelos imediatamente se arrepiam, trazendo a mim uma certa energia, cujo acumulada, me leva até o conhecido frio. É verdade que isso não se passa de um desespero, eu não sou o melhor para lidar com esses tipos de situação, mas garanto, que posso ser o melhor se existir uma permissão, pois não consigo agir sem antes saber se posso entrar. A timidez é um pequeno problema, pequeno pelo motivo de que ela lhe controla e não lhe permite exageros. O Processo é lento, mas quando finalizado, não exista quem o reverta, essa pode ser uma afirmação equivocada relativo ao ponto de vista, mas se eu não procurar ter a minha identidade, ou melhor, encontrar minha identidade e usa-la, como poderei ser útil para as pessoas que amo, e claro, para o vermelho que pretendo amar. As soluções parecem obvias, mas não são, aparenta ser porque a vida é uma armadilha, ela lhe oferece abrigo, comida, e quando você mesmo espera… fim. Seus planos foram por água à baixo, e o que vem agora¿ A vida novamente irá lhe oferecer uma oportunidade, porém neste momento, você começa a entender, claro, este campo minado. Também existe uma compressão de que, as oportunidades são visíveis de acordo com o caminho que você procura seguir! Desta forma você percebe que a vida não foi uma armadilha e sim, o que caminho que você seguiu. Sabe o processo lento¿ É devidamente para evitar essas armadilhas, porque se algo começar a dar errado; se o estopim começar a acender, o tempo que você deu ao tempo, será retribuído, e terá chance de lamber os dedos, e apagar o que seria seu fim, pelo menos nesta parte de sua vida. Vermelho eram seus cabelos, e eu estava apaixonado. O labirinto começava a se construir em minha cabeça, eu enxergava os muros se levantando… de novo não! O amor platônico ao mesmo tempo que presenteia com a criatividade, retira de mim o que necessita estar inteiro.

Desconhecido afeto

Olhos por toda parte da sala, mente por toda parte do corpo e a humilhação ainda continua existindo, as pessoas continuam sorrindo, demonstrando o lado humano ruim de ser. Sem sensibilidade não há contato, eu me sinto ferido.

Estar ferido não é uma desvantagem, pode ser acréscimo quando você fica parado, é o momento em que sua mente mais funciona… A estratégia torna-se fácil de ser visualizada, e os dados tentam rolar.  – Onde está você? Quando mais se ouve o grito de socorro, quando mais se vê o seco nos olhos, e quando digo olhos, também o vazio do estômago, o ser é fraco. Eu perdoo-os?  E minhas lágrimas? … Onde estão todas aquelas frases de amor, de carinho. As pessoas começam a cair, as mascaras derretem. Sabemos que o ódio é o mais sincero dos sentimentos, porque são as divídas que mais lembramos, o ódio é a dívida mais dolorosa. E qual  mensagem que realmente devemos receber, qual a palavra correta para ficarmos finalmente felizes, não está bom o bastante?

Qual será a solução para o fim daquilo que é ao contrário de afeto, o limite. Até onde vai o limite, até onde conseguirmos aguentar. Eu não entendo ainda porque buscar estas respostas se podemos simplesmente olhar um para o outro e compartilhar o que temos, é uma falha não ser o que somos.

Precisamos urgentemente separar as coisas devidamente. O sólido do liquido, a política e sua vida, a bondade do prêmio, para podermos repensar nossas ações. Podemos fazer sem receber porque queremos fazer, este é o afeto que não conhecemos, isso é o que falta. Eu preciso disso agora, porque estou caindo e você também, mas ninguém diz nada. Movimento. Falta multiplicar calor com abraço, falta ser sentimental. Isso não é exagero, é apenas um espelho do mal que o mundo se torna todos os dias. E isso sim é o fim. Não ter afeto por alguém é o final da estrada, inclusive da sua estrada.

Pequeno texto de um ser prestativo

Prestativo…
Um, dois, três.
Pensativo…
Três, dois, um e já:

Cada segundo juntos quando desejamos torna-se raro, e tudo que é raro fica grudado na memória, e toda vez em que empolgados estiverem estes, irá ser mencionado este raro. E novamente felizes estarão! Quando alguém mostra ser prestativo, tenha a certeza que não é por interesse material algum. Este alguém certamente gosta de lhe ver feliz. Ser prestativo é se orgulhar por cuidar de um amigo ferido, e lhe digo: Não existem tantos que assim são. Torne cada segundo como este raro, segundo junto a um amigo prestativo, que se importe com você. E é isso que importa… Pessoas que se importam com você! Faça um álbum de memórias boas e à seu gosto!

Não consigo pensar em mais nada… um, dois, três e fim.

Ossos

Eu tenho ossos se infiltrando, tenho medo me tomando. Eu tenho sangue fazendo pista, deixando minha estratégia frágil. Eu vejo minha vida se acabando, meus erros e o que estou me tornando! Eu quero voltar, eu quero corrigir. Eu vejo a dor me dar tapas, estou gritando eufórico pela ajuda…. As palavras nunca esvaziarão, é como água reutilizável, sempre vou fazer chover. A cada novo amor platônico, uma tonelada de incerteza para cada, lhe/me deixa sem caminho. Quando não se sabe resolver a vida, não se consegue e não existe possibilidade de conseguir organizar outros fatores… E cria-se sonhos. Seu coração é uma pedra, e não faz diferença se eu tentar ir até lá, você não iria sentir, sentiria? Eu não sei muito me concentrar, e o medo de ouvir algo negativo me fez errar tanto, todo este tempo. Com amigos e com os que tentei ser mais que amigo. Faltou realmente cara de pau em certas horas, que na verdade eram segundos, mas quando se trata de coragem o tempo não passa. Não tenho segurança de mim mesmo. Eu queria diz sempre a mesma fala, sentir da mesma forma quando desejado. Queria saber pular, nadar, esquiva-me de qualquer problema. Eu não vejo problemas em gostar, vejo problemas em não dizer que gosto. Tenho que fazer, tudo que querer voar como pássaro, eu deveria abrir a gaiola. Mas, quando você é a gaiola, quando você é presídio, é complexo a mudança, e por isso estes conflitos. Ouço o som de meus ossos toda manhã, e é como se meu corpo dissesse para que eu enfrentasse logo tudo isso, quebrar o nariz com a vida é bom para mais tarde. Vou parar de chover toda noite, eu juro que irei continuar esta mudança.

Dois mil e quatorze

Ontem paro observo, a cena do jornal do que quero. E mesmo sendo tão anormal sua imagem semelhança me tira o mancal, fico abismado com sua beleza! Perco os sentidos me mordo na loucura. Depois deste ano que fica no passado e me faz pensar no futuro, não consigo focar em viver. Todas as ideias que tenho são baseadas em você! Eu não quero, mas a mente, essa sem noção, não para nem um minuto de ver as nossas mãos. Sua força desmancha o emocional. Dois mil e quatorze, são tantos dias que lembro apenas de um. O olho em cruz já criava a sensação…. Eu me via cair; eu me via superar tudo que vivera até ali, eu me via. Em uma destas visões você está ao meu lado, e eu gritava duas mil e quatorze vezes: Eu vou mudar, virar muda para me plantar, crescer diferença e fazer com certeza, sem erros, sem atrasos… você enfim me amar! Era angustia, era vontade. Eram tantos misturados que sentia tonto sempre de tarde. Não consigo parar de ver seu olhar me enxergar. Respire, eu dizia a mim mesmo, e ainda digo, continuar com esta ideia de Stefan Zweig aos 60 não irá melhorar! Respire, e me digo hoje aqui, mas confesso que continuar, é o mesmo que, com o próprio fôlego soprar estas velas, digo e sinto que as bochechas estão doloridas, e mais ainda, meu coração. Eu sinto.

Vá sem medo

O tempo é passado de vontade de querer, quando você quer você pode ter. Não se percebe a liberdade ao levar um soco, vai essa ambrósia, adoce sua bondade e, tudo isso para saber manter equilíbrio, se queremos cultura, busquemos cultura, se criamos cultura, compartilhamos a mesma. A verdade é liberdade, de viver em belas artes, busque estar livre, busque pinceis de várias cores, varias para não ter preconceito, cores para ser de tudo que universo tem, agora; pinte seu quadro, sua vida, sua imagem rebeldia, rebeldia ao libertar e esquecer as ordens de um medo. Sem medo, discriminação e respeito. Vai… pinte seu amor porra!