ELE

Ele apenas não se encaixava no esquema das escolas.
Mas era muito especial.
Apenas.
Ele tinha uma boa educação.
Mas nem sempre levantava a mão.
Os professores achavam um absurdo, que menino surdo.
Eles não sabiam que ele era tímido.
Eles não sabiam que ele se corroía por dentro, sempre ao pensamento
“Vai diz algo, você sabe bem” …
Ele apenas não era adequado para a sala onde estava, onde sentava, tudo estranhava. Parecia louco, falando sozinho, ou melhor, dizendo sozinho. Tudo tinha um significado imenso para ele.
A mãe gritava: está louco menino, para de cantar! …. Já não bastar ouvir você falar com o sofá.
Calma mãe, o universo me ouve. Não tenho culpa se a humanidade não sabe ouvir ele. Ele me diz todos os dias, continue assim.
Ele apenas não era adequado.
Ele apenas não era.
Ele apenas.
Ele. Quem era ele… [?]

Descobrir-se a si mesmo. Adora a palavra identidade.

Que louco mano.
Cabeção para os irmãos.
De fato tivera uma cabeça grande.
Não ligava, era legal.
Um codinome experimental.
Ele só não sabia ser adequado.
Ele só não sabia responder, como perguntavam.

Um sorriso tímido, até quando era ofendido.
Ele gostava de criar…
O universo dizia: Isso jovem, continue!
Mas aos que viam: pare garoto, você é louco? Ele apenas queria…
Ele apenas.

By: James