Papéis‬

Cumprimente todos no começo. É fácil de fazer, e é o fundamental para haver base na luta. Cumprimente.
 
A morte é um papel, cujo, nunca sairá do roteiro de nenhuma peça teatral. Escreva sua história, imaginando apenas estes dois pontos: o de início e fim. Entre estes, faça o que mais sentir desejo, peça vários abraços, pule na chuva. O simples é básico para ser feliz! Feliz no sentido de conseguir enfrentar os problemas sem deixá-los entrarem dentro de você… quando entra, é tarde. Faça exercícios, mente, braço, perna… Um bolo pro vizinho!!! A vida é boa sim… Fique em coma de amigos, faça sempre O NOVO. Não dói ser bom pra ninguém. Rasgue os papeis em cinza, ser ranzinza não cola. Super machista não lucra amor. A mulher não tem só a bunda para mostrar, tem seu ponto de vista também, e é muito interessante. Chega de aproveitar do outro, pra começamos a aproveitar nós mesmos. Rasgue papeis do mesmo tamanho, padrões! Patriarcalismo não deixa o colorir mais suave. E a gente precisa escrever novas histórias! E que sejam muito coloridas… cada cor representa o que a gente sente. Existem problemas enormes, sim, GIGANTESCOS! Mas, basta mudar de posição, para percebermos que era apenas uma pequena sombra, e você soube encarar esta felicidade. A liberdade muda qualquer ponto de vista. Mude o seu, quando achar que está tedioso. É semelhante isso, quando deitamos no sofá, e procuramos a melhor posição. O individuo tem que fazer, se mover… Mudar de opinião não é defeito! Será incluído no meio social, deixará de ficar no canto do quintal, será a arvore mais alta. Assuma o papel de querer viver, esqueça outros papeis, eles já foram rasgados, pois a chuva já os borrou e borrado, nada anda pra frente! Quando quiser confortar alguém, saiba primeiro, se não é você que precisa de conforto. Eu tenho inspiração a todo instante, por isso assumo o papel de querer chover neste rio, que cria correntes, e tudo por sua causa. Eu deságuo neste texto, sou chuva e ele o rio. Você foi a evaporação que fez a chuva querer viver e assumir seu papel, e tudo por causa de um trecho em especial. Espero que essa frase seja a vitamina principal desta leitura: A morte é um papel, cujo, nunca sairá do roteiro de nenhuma peça teatral. Reinicie quando der errado, a vida é boa, e necessita que você rasgue papeis, principalmente os papeis que não são seus, opine o que vier de você, de seu ser. Tenha personalidade, identidade! Seja diferente. – James

Personalidades‬

Eu peço desculpas a todos que conheço, caso eu tenha feito algo de estranho. Infelizmente não consigo me identificar entre os outros e isso talvez leve ao fim deste espaço. Meu objetivo é tentar me encontrar e parar de escrever textos que não fazem muito mais do que um momento feliz, o único momento em que você lê e sente algo, pois a rima foi boa, mas depois você se esquece, ou seja, não faz mais nenhum sentido. Então posso afirmar tudo o que digo, na verdade eu nunca sei, e é este o motivo de várias personalidades. Eu nunca me sinto bem com isso, eu tento, mas não consigo me sentir à vontade. Eu sou, mas ao mesmo tempo uma farsa. No momento eu só penso em fazer o ser humano que está ao meu redor bem e, eu percebo que eu me cobro muito neste quesito, talvez isso faça eu esquecer de também pedir ajuda, concluindo também que: Eu não vejo ninguém disposto a isso, me ajudar. Não tem como saber seu objetivo no mundo, pois não tem objetivo, a não ser que você o faça! Me falta palavras agora, por que esta nova personalidade, só aparece as vezes, e eu não tenho muita intimidade com ela…. Eu queria poder dizer, mas as vezes me falta o detalhe de saber como fazer. Não consigo ser sempre alegre, eu invejo as pessoas alegres. Eu estava alegre hoje de manhã, mas agora eu estou aqui, algo como botões: ON E OFF, e quando ouço algo, liga-se o antissocial, que quer se afastar de pessoas, com a ideia de um dia ajudar todos que passam pelo mesmo. É algo complicado; algo que faz com que a pessoa fique confusa e não saiba lidar com as coisas, sempre tem a impulsividade. No meio da aula fui para casa, não conseguia ficar lá; de grupos de amigos, aquelas rodinhas… Uma vez não disse nada aos meus amigos apenas fui pra casa… Também fui embora da igreja, foi legal me senti bem ali. O mais recente foi hoje e eu quero acabar com isso, chega de negar os fatos, de ser fraco, de parecer o que não é, chega de tentar pra não conseguir fazer… ( é impossível agradar todos). Você talvez nem entenda do que eu falo, me desculpe, mas para ser explicito: Eu apenas quero ficar sozinho, eu me machuco psicologicamente quando elas, as pessoas… dizem algo, não são elas, sou eu….

Não consigo sempre ficar com o mesmo comportamento. E é algo automático, eu tento para me sentir bem, para tentar esquecer o que eu sou de fato, o que eu sei que as pessoas acham, e que é algo muito importante… sou impossibilitado, e isso me fere, não consigo mais suportar este desconhecido sentir… eu quero ser útil.

– Pessoal, não foi um texto bom, mas apenas sinto a obrigação de dizer por que vou parar, acho que, independente dos problemas, temos que ser justos com as pessoas. Apenas quero me desligar deste virtual, e tomar umas porradas de verdade na fuça, e claro ir ao médico. (Eu não fui completamente embora)