Escopo

No escopo da saudade, é que vejo minha prisão. Fica subindo sem parar, quando me acostumo, volto ao chão. Minha mente que é a chave, de minha própria retenção. Chave que se perde no meio da multidão… Multidão que é sentir, que é amar sem reagir. As grades são construídas quando penso em liberdade, em soltar-se às mãos. A força da mente, não é bastante para o coração. O coração não funciona só para o sangue caro irmão. As velas de seu filtro estão quebradas e quebradas não podem ser, não serão. No escopo da maldade, sinto o peso de sua mão. As mãos que se dão; o corpo que se solta; o desejo que se sobra. No perder entre os beijos, no encontrar na difusão. Nas palavras, que logo frases embaralhadas, sinto angustia de pensar. A vontade de querer, me faz voltar a repensar… O escopo da minha mente é a realidade da retina, é o sentir dos pelos quando sinto. No escopo da saudade, é que sinto a visão, os pelos subindo sem parar, quando me acostumo, desmaio ao chão. Coloque agulhas nos pontos cruciais do meu escopo, perfure minha saudade, me sinta e me abrace. Eu preciso precisar… ser precisado.

Anúncios

Copo de saudade

Indo para o hospital da imaginação, deparo com doentes, fico entusiasmado na contramão. Ciências biológicas fazendo a mistura da ganancia com o ódio que fica estampado na cara do homem armado com ferro. O cara morto não se faz de delegado, mas que loucura esta mania de querer descrever o que se sente…. Sai algo sem resultado, algo que se vê, mas não se entende. A química destes hormônios liberados, faz com que eu sinta ter um jardim no estômago com muitas borboletas e estas… fazem o parque de meu peito bater acelerado! Hospitalize-me de você, me instale dentro do seu ser, reserve seu único leito para mim… O cara apaixonado logo ao lado, desculpe… A frente! Olha apenas para uma luz quadrada enfeitada de detalhes, movida por uma placa com energias direcionadas a outros tipos de mecanismos fazendo então o conjunto um computador. O que quero pensar nunca consigo sentir, na verdade eu estou na contramão, e digo sim: O que sinto não consigo raciocinar. Então deixo oculto o seu registro! Sou o estar, e refletindo nisso, sou também ficar meio angustiado, tudo faz parte do momento errado! Eu devia ter dito, eu devia ter feito, eu devia ter amado! Que droga, me desprenda deste imenso recipiente de inércia. O ato de você não poder estar, me faz o ato de não pode viver. Sentir é algo miserável, algo que vai até a morte. Me perdoe se errei… não é o bastante o perdão, mas quase isso é o arrependimento. Ninguém escolhe de que lado quer viver, o olhar que você passara no dia primeiro em que vi, não sai do meu pensamento imaturo e inseguro, que não sabe lidar com tal situação a frente. Mas, se estivesse aqui, saberia mesmo como fazê-lo… A estrada que posso percorrer, sinto que pode esbarrar na sua, mas o que importa, é que sei que existe outros também na mesma corrida, e podem roubar você primeiro… tenho um zelo fora do comum, mas isso se baseia só na vontade de ter o calor de volta, de ter você a minha volta. Nunca me pertenceu, mas a vontade que doeu por isso o motivo de tantas letras de sentir. Eu quero me provar a ser teu, homem prova que pode ser, e proteger… O homem diz para fazer, consegue me entender? Eu estou dizendo, mas sem seu material não posso fazer minha obra. A falta que faz o passado, entrega a mim a sede de viver este futuro, tudo graças ao olhar que você me entregou, as mãos que se beijaram. Mas, antes de tudo tenho que me controlar no sentir, para a mente poder reagir e conseguir fazer recipiente nenhum me prender, impedir de fugir. ” And I need you to need you to know ” Se você não entende, eu perco a chance, eu perco o combustível. By: James, JAMES, James, James! Não paro de escrever por que não consigo andar nas ruas caso eu não escreva, as pessoas sempre me olham… eu creio que fico bêbado de desejo.