Perdi a vida…

Eu estou feliz! Converso com muita gente, geralmente tenho bastante amigos… dou muitas risadas. Vou a muitas festas!

Aparento ser muito feliz, te conto piadas; gosto de cerveja! Eu sou humano porra!

Mas, quando estou sozinho, e penso… ou Quando algo está dando errado, apenas sinto dentro de mim alguma coisa, é segredo… mas isso faz com que a ideia de partir não seja tão ruim.

Ainda falta alguma coisa. Algo que eu não posso dizer, é segredo.

Eu sou bom? Não gosto de dizer que estou mal, quero ver pessoas sorrindo.

Eu perdi a vida, não vivi muito… então resta o eu. Irei partir. Você não entende, mas… não é o momento pra discutir, apenas irei. Obrigado.

O tempo se corta, para que as cenas não se tornem um filme de terror. Desculpe.–

Todos os dias eu vejo noticias de pessoas suicidando. Caso você, amigo da internet, pensa nisso. Lembre-se que você não está sozinho, converse mais SOBRE o segredo. Não poupe ninguém, apenas diga! Não se mate por alguém, não se mate por sí mesmo. Procure pessoas, e tente se livrar deste sentimento. Sua vida não é qualquer coisa.

Prevenção do #suicídio, disque: 

0800 273 8255 

0800 290 0024

Centro de Valorização da vida, disque: 

141  

Bipolar

Tô bem calmo, mas tem muita coisa me incomodando! Por mais que eu adore essa forma que você me olha, eu lhe pergunto se perdeu alguma coisa! E aí?! – Na verdade, eu estou bastante  animado, pois irei voltar com vídeos no meu canal, mais tarde, eu penso em desistir de tudo, e penso também, em como ta parada minha vida… eu me sinto um nada, é um saco! Eu começo os movimentos de ação, e paro no segundo passo… como se fosse um sorriso, em seguida, o sentir angustiante junto daquele arrepio, que com ele, as lágrimas.

Eu sou muita gente num corpo só, sou amor e raiva… Eu sou poesia complexa que ao final é animadora, pois quando se compreende, o seu gosto passa a valer a pena. Sou existência desses textos.

Em outro dia… continuo:

É delirante a maneira de ser em meio as pessoas. Delirante pelo fato de que a gente se passa ser o que não é… e tudo isso é estressante, desconfortável! Eu poderia passar para as pessoas um alguém muito mais legal. Essa bipolaridade, tem em mim duplo sentindo, por mais que seja estranho dizer isso, sou bipolar por não querer e, também como modo de defesa, uso a outra face. Geralmente me contento, não falo muito e tento resumir tudo que preciso dizer. Mesmo não entendendo o que acabou de explicar, não irei fazer alguma pergunta solicitando ajuda. Essa segunda vida, passa um ar de orgulho, mas… é de fato. Não posso negar. Ajuda existe pra quem quer! Você tem que levar algumas porradas para superar tudo que precisa superar. Mas… quem disse que me arrisco? Estou confortável, estou aparentemente feliz, e isso não atrai pessoas. Ninguém faz perguntas quando se está bem, e eu continuo escrevendo.

giphy-downsized-large

 

É fácil fingir; é fácil deixar pra próxima… mas tudo isso é fácil, porque do outro lado existe o difícil, que é justamente a estrada da superação… Ainda estou dormindo.

– James…

A negação me consome

Eu sou a vela assoprada.

Nos dias normais eu tento buscar sossego, pois, a tristeza do não alcançar o desejado, me faz sentir perdedor. Eu não poderia estar de outra forma, se não esta, esta… de negação. O aceitar torna-se impossível, e este foda-se que as pessoas conseguem acionar, não funciona comigo. Eu me preocupo, e ao mesmo tempo me escondo da verdade do que sou. Por mais que possa parecer uma escolha que fiz, não é. Eu não tive a oportunidade de cuidar melhor, pois não conseguia ter a noção do que poderia acontecer. Foi assim na escola também, eu não tive a noção da falta que me faria, ter os olhos mais fixados no quadro e professor. Me fodi. Perdi dois anos.

Estou sendo consumido. O alimento para urubus está à mesa. Loucura total, dizer estas palavras. Mas, não se conhece nem um pouco do que é ser louco, quando se têm o conhecimento de minha realidade, talvez… talvez, possa entender um bocado. O complexo que existe em todos esses anos, por motivo dessa falha, está anexada em todos os textos que fiz. Nessa década, eu me li sofrendo. O que eu escrevia, automaticamente era sobre a falha, sobre o que eu não faço para mudar. E por algum motivo eu tenho a certeza de que seria visível de alguma forma, caso eu resolva essa falha, pois dentro de James, existe muito mais do que o especial. Eu sou a vela assoprada e quando apagada a luz, a energia não vem, desta forma a coragem é muda, e eu… eu fico na inércia, chorando. Provavelmente isso já foi dito, porém não seria exagero repetir… Por muito tempo se espera um milagre, até se perceber que o milagre só existe quando você o faz.

Quem é James? Qual o seu valor?

Sinceramente eu me pergunto se irei ter este valor um dia, tendo em vista claro, o mundo em que vivemos, pois, não há como sair. Eu quero vida, eu quero esperança, e espero que as pessoas se orgulhem de mim. Mas, enquanto eu negar; enquanto eu bloquear esta saída, eu não irei mudar. Escrevo devido a esta falha, ela foi o meu quarto escuro de criatividade, onde eu, sozinho, percebi as pessoas e suas atitudes. Consegui olhar para as pessoas de uma forma diferente, tendo como objetivo a busca. Do que é aquela pessoa, o que ela vale…

Eu me perguntei, e me pergunto muito. Deveria também perguntar as pessoas, porém como citado, eu fui assoprado. Destino? Não! Não existe no meu mundo. Todas essas teorias do mundo de cima, não cabem no meu mundo; em minha identidade pessoa.

– De novo… a música.

Radiohead – Let Down.

Essa banda tem o costume de fazer isso, ela me acolhe, e me “criativisa”.

Quando espanto. Estou escrevendo de novo. A memória pesa, pois, lembrar do que está em mim é desmotivador. Eu preciso de uma saída de urgência. A válvula de escape, ESCREVER, não está sendo suficiente, ler tristeza é apagar futuro.

Vocês não imaginam do quão é ruim quando encontro algo ou alguém que se encaixaria perfeitamente no que sou, mas, lembrar do que sou em parte, não deixa a esperança de estar feliz, viver… e nem por um minuto. E novamente me pergunto: irei viver assim até quando?

ATÉ QUANDO VOU OUVIR E NEM SE QUER IREI dar MEU PALPITE.

Que modestamente, seria melhor em alguns casos.

Agora outra música.

Forget it – Breaking Benjamin.

Outra banda que adora me oferecer uns socos. A música é reveladora. Os sentimentos que você pensa, ou imagina não ter, são revelados na primeira frase. Os Riffs marcantes lhe oferece um selinho na consciência. Eu não sou uma pessoa perfeita, e pra ser sincero, ninguém é. Porém, sabemos que da pra ser melhor a cada dia. A perfeição é um conto meu amigo, não tente chegar lá. O que pode parecer perfeito, é personalidade, identidade… assuma sua! Estar melhor seria como gostaria de estar. Mas esquecer é algo difícil para mim. A única coisa que não esqueço é o PORÉM, ou seja, a desculpa. Perceba ao longo do texto varias.

Mais uma música… Creep – Radiohead, realmente eu sou o suco dentro desse copo. Foi feita designada para as pessoas do quarto escuro de criatividade; foi feita para quem tem vontade de correr, correr e correr. Foi direcionada, para os que complicam. E é dito: Eu não pertenço a este lugar.

Eu tenho o sonho de ser mais, e poder oferecer a todas as pessoas ao meu redor, um carinho que nunca dei, por motivo de não conseguir lidar com estes problemas. As vezes eu exagero com minha família, e grito de um hora pra outra. É algo que me frusta minutos depois, e eu me sinto muito mal com isso. Estou cansado de maquiagem. Essa coisa não funciona para todas as pessoas.

É isso que acontece quando não se tem mais para onde ir… o balão estoura. Sempre deve existir este fim, este limite. Estou perto do meu, é o que espero. O fim das lástimas e o nascimento do que é viver.

– Tenho dezenove anos de idade, e ainda não vivi.

Vermelho

A conexão é inevitável quando se usa os olhos, desta forma, caso realmente exista uma verdadeira troca de olhares, no sentido de: eu quero enxergar; quero poder lhe conhecer… O ponto de partida será necessário, pois não se protege da chuva sem antes pegar o guarda-chuvas. Tendo isso como referência, digo com a certeza de que estou certo que houve aquela esperada troca de olhares, e não só troca de olhares, existiu uma profunda observação e ao mesmo tempo apreciação em relação a ambos seres humanos.

Vermelho… vermelho é o que se via… os instintos se ativam e os pelos imediatamente se arrepiam, trazendo a mim uma certa energia, cujo acumulada, me leva até o conhecido frio. É verdade que isso não se passa de um desespero, eu não sou o melhor para lidar com esses tipos de situação, mas garanto, que posso ser o melhor se existir uma permissão, pois não consigo agir sem antes saber se posso entrar. A timidez é um pequeno problema, pequeno pelo motivo de que ela lhe controla e não lhe permite exageros. O Processo é lento, mas quando finalizado, não exista quem o reverta, essa pode ser uma afirmação equivocada relativo ao ponto de vista, mas se eu não procurar ter a minha identidade, ou melhor, encontrar minha identidade e usa-la, como poderei ser útil para as pessoas que amo, e claro, para o vermelho que pretendo amar. As soluções parecem obvias, mas não são, aparenta ser porque a vida é uma armadilha, ela lhe oferece abrigo, comida, e quando você mesmo espera… fim. Seus planos foram por água à baixo, e o que vem agora¿ A vida novamente irá lhe oferecer uma oportunidade, porém neste momento, você começa a entender, claro, este campo minado. Também existe uma compressão de que, as oportunidades são visíveis de acordo com o caminho que você procura seguir! Desta forma você percebe que a vida não foi uma armadilha e sim, o que caminho que você seguiu. Sabe o processo lento¿ É devidamente para evitar essas armadilhas, porque se algo começar a dar errado; se o estopim começar a acender, o tempo que você deu ao tempo, será retribuído, e terá chance de lamber os dedos, e apagar o que seria seu fim, pelo menos nesta parte de sua vida. Vermelho eram seus cabelos, e eu estava apaixonado. O labirinto começava a se construir em minha cabeça, eu enxergava os muros se levantando… de novo não! O amor platônico, ao mesmo tempo que presenteia com a criatividade, retira de mim o que necessita estar inteiro.

Estou cheio de estar ‎perdido‬

Na rua as pessoas olham, parece ser normal, mas, o pensamento em minha cabeça diz que não é normal. Normal seria elas olharem, mas estranho seria o que olham. Alguns passos à frente depois de perceber que estava sendo muito observado, busco algo que cria reflexo, quero sentir, e ver se realmente existe nexo neste olhar que me assemelha pré-conceito. A rua é tão seca de informação, que quando alguém tenta molhar, deixar molhado para tudo funcionar, eles negam e começam a odiar. Por outro lado, tem gente igualzinha a você, com mesmo gostos, e um futuro desejo bem parecido. Eu estou perdido, porque as pessoas não me deixam encontrar, você pode estar perdido, porque não se gosta de amar. A cada momento que tento algo novo, que tento mudar na minha imagem, eles ainda continuam a olhar. Preciso deixar de estar perdido, quero me encontrar de uma forma que não me sinta perdido entre tantos olhares. Quero sentir orgulho por ser admirado, mesmo não sabendo o motivo. Personalidade seria um erro? Querer ser diferente é um erro? Ser diferente por nascença é um erro… A doença é um erro? OU…. Ser subjetivo é uma missão difícil, e por este motivo invejada… onde estão escritas estas regras, e mesmo se escritas quem poderia dita-las. (?) O erro é deixar de querer ser o que você deseja sentir. Viva o que quer sentir, grite pela sua liberdade de querer, estar e amar. Perceber não estar perdido é melhor forma de agir contra o pré-conceito, e em seguida preconceito. Você não tem o problema que acha ter; personalidade não é algo externo; sua doença está dentro de você. Aceitar os fatos as vezes nos custa caro, mas para se pensar: ” Basta você gostar de você, para enfim: os outros gostarem de seu gosto…” E mesmo se não gostarem não faz diferença caso você não queira que faça! Sinta cheio de estar bem consigo mesmo, estando bem, não haverá o (perdido).

Escolha

Se temos uma vida tão legal, a ponto de não querer mudar nada, por qual motivos ainda pensar em problemas?! Talvez pensamos em “problemas” de uma maneira tão exagerada, que usamos este nome para nomear qualquer coisa que sai do nosso plano. E quando sai do nosso plano, estou dizendo que sua escolha não era um bom plano. Quando você deseja, você quer e se você quer, você se excita. Sendo assim, sua escolha vai depender do que sentir desejo. A escolha é uma base para se construir, e mostrar o quê, e quem você quer ser ou continuar sendo. O momento bonito, só é bonito, porque você o quer bonito. E sua vida só será boa se você planejar e fazer escolhas certas que podem fazer ela melhor. Tentando ser mais correto, já que não sei o que é correto para você: escolhas certas talvez não seria o caso para sua vida torna-se perfeita, não podemos esquecer do acaso. Para uma vida ser quase perfeita, necessita-se de: O planejamento!”. Planejamento de tudo mesmo! Casa, mente, família, sua mochila… Eu não acredito em destino, e caso você acredite, eu não me importo, afinal, não faz diferença. A verdade é apenas uma interpretação. Você vive e pisa no chão que foi baseado em suas interpretações. Então continue achando o que quer achar, viva esta sua verdade. A coincidência existe, e é apenas um ponto de vista individual, extremante meu! Pois tive a opção ao fazer escolhas. Quando estamos determinados a fazer algo, na maioria das vezes não sabemos o que nos motiva, apenas fazemos, mas no meio da ação, a gente espera resultados. Receber por alguma atividade que fazemos é uma forma muito explicita de motivo para fazer de novo. Comecei a chamar esses textos que aqui deixo de ” Masturbações mentais “, graças ao Gabriel, isso, O pensador… Pensa tanto em dor, que o Brasil agradece pelos curativos intelectuais. E eu tive a opção de escolher isso. Eu quero que seja assim, pronto. Nada é por acaso, tudo é por UM caso, e baseando-se em sua escolha que é chamada de caso, haverá sempre outros acasos. Devemos misturar frases, porque viver é uma conexão, é uma garrafa de escolhas que se torna o que somos. Sempre deve existir uma cautela em escolhas, pois elas dizem o que somos e pra quem vamos ser. Você pode ser invisível o quanto for, mas enquanto estiver sustentado em suas escolhas, desejos, sonhos, e claro planejamentos, mapas… Você será o mais forte da tribo, e olha, não conta pra ninguém suas ideias, a capacidade deve ser sempre invisível, digo: Imprevisível.

Só penso

Eu estou insatisfeito com minha vida, graças a todos os meus erros. Mas, existe um orgulho, um ego que precisa de carinho. E por isso, continuo a tentar e tentar! Os erros são a melhor forma de fazer perfeito, e para quem quer honra, é melhor ainda. Este sempre fui eu… O tentar. E para ser sincero, estou cansado, cansado de tentar. Ainda mais quando tento algo nada produtivo, coisas secas, que sem dúvidas não da fruta. Aquela fruta cheia de água e vitamina, que cê morde e sonha. As minhas falhas estão se tornando minha personalidade, e apenas tenho dezoito anos, ainda tenho tempo… espere! Eu não tenho tempo, tenho que fazer agora, pois, neste momento estou insatisfeito, por isso, essas palavras existem. Um paradoxo de conflitos, não no externo, mas na minha cabeça. Não ser reconhecido, é quase um tiro de escopeta, não sei como é o tiro, mas sei como não é ser reconhecido, e é ruim. Justo também não deixa de ser, as minhas tentativas sempre medianas nunca evoluíam muito, não pelo fato de não ser reconhecido, mas, por eu desistir antes que alguém experimentasse o que eu teria para apresentar. Descubro que não sou reconhecido por eu mesmo. Afinal, os conflitos estão em minha cabeça. O neuro que se desenvolveu em mim, me regressa e, continuará caso eu não faça uma intervenção, desde que ela comece exatamente por mim. A organização é algo que nem todos desenvolvem, por isso sou descontrolado. Não consigo usar um sentido para seu significado, quero usar vários sentidos, nenhum significado. Para se decidir, o foco e analogias de acordo com o que você é e viveu. Estes fatores (Foco e analogia) são coisas importantíssimas, para você ser alguém bem esclarecido. Eu falhei, não porque quis, mas por que me desenvolvi assim, o sistema não atende ao meu consciente. A consciência não muda o sistema da cabeça. Eu não sou alguém, não sei me identificar. Estou frustrado com o que o tempo faz. O meu tempo acaba, e deixarei de cumprir meus objetivos, que nunca, começam.
A impulsividade me destrói, gera pré-conceitos.
Frases definem sim, o que é, e o que se está passando, sentindo. A angustia de ser fraco, me torna invisível. A frustração gera elas: ” Ter potencial, não é fazer as coisas. James ” e ainda: ‘ – Mas você pensa TÃO grande! – Ninguém cresce, se não pensar grande. #James ” Respiro… e só penso.

Personalidades‬

Eu peço desculpas a todos que conheço, caso eu tenha feito algo de estranho. Infelizmente não consigo me identificar entre os outros e isso talvez leve ao fim deste espaço. Meu objetivo é tentar me encontrar e parar de escrever textos que não fazem muito mais do que um momento feliz, o único momento em que você lê e sente algo, pois a rima foi boa, mas depois você se esquece, ou seja, não faz mais nenhum sentido. Então posso afirmar tudo o que digo, na verdade eu nunca sei, e é este o motivo de várias personalidades. Eu nunca me sinto bem com isso, eu tento, mas não consigo me sentir à vontade. Eu sou, mas ao mesmo tempo uma farsa. No momento eu só penso em fazer o ser humano que está ao meu redor bem e, eu percebo que eu me cobro muito neste quesito, talvez isso faça eu esquecer de também pedir ajuda, concluindo também que: Eu não vejo ninguém disposto a isso, me ajudar. Não tem como saber seu objetivo no mundo, pois não tem objetivo, a não ser que você o faça! Me falta palavras agora, por que esta nova personalidade, só aparece as vezes, e eu não tenho muita intimidade com ela…. Eu queria poder dizer, mas as vezes me falta o detalhe de saber como fazer. Não consigo ser sempre alegre, eu invejo as pessoas alegres. Eu estava alegre hoje de manhã, mas agora eu estou aqui, algo como botões: ON E OFF, e quando ouço algo, liga-se o antissocial, que quer se afastar de pessoas, com a ideia de um dia ajudar todos que passam pelo mesmo. É algo complicado; algo que faz com que a pessoa fique confusa e não saiba lidar com as coisas, sempre tem a impulsividade. No meio da aula fui para casa, não conseguia ficar lá; de grupos de amigos, aquelas rodinhas… Uma vez não disse nada aos meus amigos apenas fui pra casa… Também fui embora da igreja, foi legal me senti bem ali. O mais recente foi hoje e eu quero acabar com isso, chega de negar os fatos, de ser fraco, de parecer o que não é, chega de tentar pra não conseguir fazer… ( é impossível agradar todos). Você talvez nem entenda do que eu falo, me desculpe, mas para ser explicito: Eu apenas quero ficar sozinho, eu me machuco psicologicamente quando elas, as pessoas… dizem algo, não são elas, sou eu….

Não consigo sempre ficar com o mesmo comportamento. E é algo automático, eu tento para me sentir bem, para tentar esquecer o que eu sou de fato, o que eu sei que as pessoas acham, e que é algo muito importante… sou impossibilitado, e isso me fere, não consigo mais suportar este desconhecido sentir… eu quero ser útil.

– Pessoal, não foi um texto bom, mas apenas sinto a obrigação de dizer por que vou parar, acho que, independente dos problemas, temos que ser justos com as pessoas. Apenas quero me desligar deste virtual, e tomar umas porradas de verdade na fuça, e claro ir ao médico. (Eu não fui completamente embora)